Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

domingo, julho 21, 2013

OS CONTENTES DOS PARTIDOS

Uma coisa que sempre me causou alguma impressão na política, é a malta que se recusa a despir a camisola, nem que seja para a lavar uma ou outra vez. Pelo menos, deixava de cheirar mal, certamente. Lembrei-me disto a propósito do José Matos e das suas aparições escritas por alturas das eleições, sejam elas autárquicas, presidenciais ,  legislativas ou europeias.

O José Matos, como militande do PSD, tem obviamente o direito de opinar sobre o que quer que seja (ainda não foi imposta  a lei da rolha que a sua companheira e presidente da Assembleia da República,  quis ou quer aplicar no parlamento).

Mas o que o José Matos não tem é o direito de se julgar o politólogo supra-sumo, conhecedor das motivações de cada um para querer influenciar a opinião pública, quase sempre denegrindo a imagem dos que lhe não aparam o jogo político. Já lhe conhecemos o jeito.

Há 4 anos foi assim em relação à minha candidatura  e agora voltou a mesma conversa da treta em relação à candidatura da Vera Machado.

A Vera não precisa que a defendam pois ela saberá dar bem conta disso na devida altura mas, como percebo que ainda há na verborreia do José Matos (JM)alguma situação mal resolvida de há 4 anos atrás, e para que  não fique eternamente  na ignorância, vou procurar esclarecê-lo de alguns pontos /questões que, tem obrigação de saber, mas insiste – propositadamente - em ignorar.

E, primeiramente, importa dizer que felizmente há gente que sabe separar as águas e perceber que nas eleições autárquicas devem contar as pessoas e os projectos e não os partidos.  Há 4 anos, fui eu que escolhi a minha equipa e foi essa equipa que escolheu o programa para a  sua  freguesia. Não foi o PS. Penso que no PSD/CDS acontecerá o mesmo… mas já tenho dúvidas.

Além disso, após a eleição, parece-me que os presidente da Câmara, da junta ou das Assembleias, exercem os seus mandatos como tais e não como representantes partidários. E quero crer que durante o exercício dessas funções se libertam dessa capa tratando todos por igual.

Por aqui já vemos que, no contexto autárquico,  a influência partidária é nula.

Para o JM, será sempre muito difícil perceber que há, de facto, gente que se está marimbando para os partidos quando se fala em eleições autárquicas. É óbvio que há muitos candidatos às Assembleias de Freguesia que têm a sorte de ter nos partidos em que militam ou  dos quais são simpatizantes, candidatos às câmaras Municipais com os quais se identificam e com quem formam equipas de valor.

Mas quando isso não acontece, essa gente que coloca o interesse da sua terra acima do partido, não tem qualquer problema em procurar o apoio que necessita, seja à esquerda, ou à direita. Mas nunca li ou ouvi o JM tecer qualquer consideração quando o PSD integra nas suas listas gente de outros partidos. E não são raras as situações, certamente. Mas há outras.

A nível local, por exemplo,  o CDS tem servido de muleta para o PSD ganhar eleições. Pois bem; quantos elementos do CDS estão nas juntas e assembleias de freguesia do concelho?

Não pense o JM - que jamais ousou saír da sua zona de conforto -  que é fácil dar a cara pelo PS em Estarreja, mesmo sabendo-se que o que se pretende é tão só o apoio do Fernando Mendonça para a concretização do que se pretende fazer. E é disso que se tratou comigo há 4 anos e é disso que se trata agora com a Vera Machado. Não é nenhuma azia contra qualquer partido.

A candidatura independente que o JM entende ser o caminho dos inconformados, não mais é do que um tiro no seu próprio pé. A Vera Machado é a mesma,  o seu projecto é o mesmo e a sua independência é exactamente a mesma quer se apresente pelo PSD/CDS,   pelo PS ou pelo Movimento de Cidadania encabeçado pelo José Artur. A diferença está apenas no cabeça de lista de cada uma dessas listas. E é isto que faz confusão a certas mentes mas que julgo ser perfeitamente perceptível a quem queira ser leal.

Não são os partidos que desiludem mas sim os seus dirigentes e/ou eleitos. Não misture, por isso, as coisas.

Eu sei que o JM gostaria que a minha equipa se tivesse vendido ao seu partido nas eleições anteriores porque, provavelmente o PSD teria tido um dos maiores resultados de sempre  mas, contrariamente a outros,  eu sempre fui coerente com o  que me fez aceitar pela primeira vez fazer parte de uma lista: colocar o interesse da minha freguesia acima de tudo. E, por mais que queira dizer ou demonstrar o contrário, não conseguirá encontrar uma palavra, uma acção ou uma tomada de posição que o prove.

Felizmente a Vera Machado é mais uma inconformada que infelizmente não vê no seu partido a pessoa certa para dar ao concelho de Estarreja e à sua freguesia, o que ela julga que merecem. E é por isto que todas as Veras Machado assumem a coragem de desbravar um outro caminho.

A Vera  não mudou de partido, porque não é disso que se trata.

Querer passar a ideia de que se muda de partido ou de camisola, como o JM tanto gosta de referir,  não passa de uma ardilosa forma de tentar influenciar negativamente a opinião pública e disso tirar aproveitamento. Mas também isso não é novidade. Há muitos jogos que se ganham sujamente mas há quem se dê bem com isso. Eu prefiro perder o jogo, sabendo   que o joguei  de  forma correcta e limpa, do que o ganhar à custa da mentira. E o que o JM está a usar novamente é, nada mais nada menos que  a mentira.

Mas, mesmo assim, se quer colocar o assunto no plano partidário e já que é um distinto dirigente e representante do seu partido, deixe-me que  lhe pergunte quantas vezes veio cá a Canelas ou mesmo à sua própria terra, Fermelã,  procurando saber como tem corrido a política local?

Quantas vezes veio ouvir as queixas de falta de apoio do presidente da câmara (que é do seu partido), para com as juntas que são também do seu partido?

Quantas vezes fez chegar essas críticas à Comissão Política do seu partido?

Quantas vezes procurou que as juntas de freguesia do seu partido tivessem mais atenção da Câmara Municipal?

Deixe-se de tretas, JM pois ambos sabemos que os partidos se interessam pelas freguesias apenas por altura das eleições. E eu sempre o disse.  Ficar-lhe-ia bem assumir isso, porque é a mais pura das verdades.

Mas, continuando no plano partidário, diz o JM que se um dia deixar de gostar do seu partido ou da sua lista, simplesmente não vai mudar. Está no seu direito mas querer estabelecer o fim de um percurso a quem quer que seja, e que os outros se guiem pelos seus pensamentos é, no mínimo, achar-se o dono do mundo. Não lhe fica bem.

Apesar de dizer que respeita os outros e as suas opiniões/acções, pelo  texto publicado no JE, percebe-se que tal não é verdade. Porque se fosse, não escrevia com tanta azia.

E, já agora, se o JM quiser falar nos partidos, deveria primeiramente olhar para dentro do seu e reconhecer o triste espectáculo que tem dado o seu governo, bem como o péssimo serviço que tem prestado ao país, castigando os portugueses, empobrecendo-os, desempregando-os, roubando-lhes a saúde e a educação e o futuro.  Um governo cujo primeiro ministro mentiu descaradamente ao dizer que jamais usaria as medidas que não se cansa de tomar.

E, por falar em coerência, tenho a certeza que o meu dicionário (felizmente) a define de uma forma substancialmente diferente do seu.

Sei que para si ser coerente a nível político, é ser o moço de recados de um partido, desistindo da capacidade que temos ou não de pensar por nós próprios e colocar o interesse partidário acima de quaisquer outros. Ser coerente é, por exemplo,  passar 4 anos  a criticar  a Câmara e dois meses antes das eleições fazer de conta  que sempre esteve tudo bem e vestir de novo a tal camisola do partido que nos lesou. Estamos esclarecidos.

Pois bem, a Vera Machado, tal como outros, gostam da sua terra o suficiente para fazerem tudo o  que puderem por ela, mesmo que isso implique colocar-se à disposição dos arrufos de todos  os José Matos que tanto amam os seus partidos em detrimento das necessidades das suas terras.

Contrariamente ao que o JM diz, quem é livre e apartidário tem a liberdade de se rever em quem quer que seja, sem que isso implique a colocação de palas nos olhos e no pensamento,  e sem perder a sua integridade e dignidade. Nem todos terão capacidade para o fazer certamente, mas há quem o faça.

A Vera é uma mulher de coragem que, de cara lavada, se dispôs a enfrentar um grande desafio, indiferente às críticas e patetices que alguns se julgam no direito de produzir: lutar pela sua terra e por um futuro melhor -  coisa que outros se propõem por altura das eleições, mas rapidamente deixam caír no esquecimento à medida que o tempo passa. São esses que se julgam os donos do mundo.

2 comentários:

FERNANDO DE OLIVEIRA disse...

SENHORES chuegou a hora de encontrarmos e reencontrarmos no politico, profissional,intelectual,ect.Nao seguir tirando-nos pedras uns aos outros e como diz o ditado,QUEM TENHA A RAZAO QUE A TIRE PRIMEIRO. NESTA HORA TRITE E LAMENTABEL QUE A TODOS OS PORTUGUESES NOS DOI TEMOS JUNTOS QUE REVERTER ESTA SITUACAO DEIXANDO OS INTERESSES O IGUISMO A ENVEJA O RANCOR E TUDO O NEGATIVO PROPRIO DO SER HUMANO VAMOS A TER UM UM POUCOMAIS DE AMOR A NOSSA PATRIA {A NOSSA TERRA} A MERECE NAO SO POR SUA HISTORIA MAS PORQUE OS SEUS FILHOS AINDA QUE MUINTOS ESPALHADOS POR O MUNDO {SENDO EU UM DE ELES}A QUEREMOS E SEGUIMOS ATENTAMENTE ONDE FESTEJAMOS AS ALEGRIAS E CHORAMOS AS TRITEZAS DE O ACONTECER NACIONAL SEJAMOS PATRIOTAS E DEMOSTRAREMOS A TODA CLASSE POLITICA QUE TODOS DE UMA MANEIRA OU OUTRA SAO RESPONSABEIS DESTE DESASTE NACIONAL SEJAO CAPAZES DE OUVIR O POVO PORQUE A VOZ DO POVO E A VOZ DE DEUS a ,

Anónimo disse...

De:
Dr. Matos Ramos – Economista – Residente em Canelas
E-Mail: “ matosramos2013@gmail.com “2013-12-02

Exmos. Senhores

Estou revoltadíssimo, com a falta de liberdade de expressão que existe em Estarreja.

No passado dia 29.11.2013, pelas 13:00 Horas, foi silenciado o Blogue: “ www.aviscosidades.blogspot.pt “ e a conta do seu Administrador no Facebook: “ Fermelanidades Sabina de Matos “, através de uma acção concertada do actual Presidente da Assembleia Municipal de Estarreja (José Eduardo Valente de Matos) com o Vereador do Partido Socialista Fernando Mendonça.

Este Blogue, vinda denunciado, verdadeiros casos de polícia no Concelho de Estarreja, tanto do PSD como do PS e nos últimos tempos era o Porta-Voz de uma verdadeira alternativa independente à liderança da Autarquia Liderada pelo Ilustre Médico Cirurgião Ortopedista Carlos Manuel Ribeiro de Sousa, residente no lugar da Aldeia na Freguesia de Avanca.

É necessário, colocar o Blogue agora silenciado outra vez activo e penso que as rádios e jornais da Região devem fazer pressão para isso.

Estarreja está a ficar uma DITADURA.

É urgente denunciar e voltar a ser visível o Blogue: “ www.aviscosidades.blogspot.pt “, nem que para isso sejas necessário levar a efeito uma petição judicial, onde se demonstre a afronta à liberdade de expressão.

Eu, vou continuar esta minha luta, até o Blogue regressar ao público.

Espero a Vossa reacção.

Subscrevo-me: Dr. Matos Ramos