Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, junho 10, 2013

A ESCOLA

Como estava anunciado, realisou-se no último Domingo, a inauguração da Escola de Canellas, que é dum edifício elegante e confortável e que há tantos annos se vinha esperando. Chegou, alfim, o grande dia para Canellas, o dia da sua abertura, e não só para honra dessa terra que tem aspirações ao progresso, e que em breve espera ter novos e grandes melhoramentos, mas para felicidade das criancinhas, que vinham tendo por escola um pardieiro, como acontecera a Fermelã e a tantas outras terras, que agora vão tendo as suas escolas condignas. Estes factos constituem grandes festas, festas de justificada alegria para estes povos. E foi por isso que Canellas esteve em festa no último Domingo, em festa íntima a que o velho "Jornal de Estarreja" sempre dedicado a todas as causas de progresso, sempre propugnador de tão grandes melhoramentos do Concelho, se quis associar (…).
(Jornal de Estarreja, 05 de Maio de 1934)

Estávamos em 1934. Mais tarde, (por volta de 1970) o belo edifício da Escola de Canelas haveria de ser demolido para dar lugar à construção da sede da Junta, entretanto cedido para a instalação do Posto Médico.
Nova escola se construía, maior e mais moderna, no lugar do Castanheiro, renovada e melhorada em 2008.
Motivo de orgulho e de alegria da população durante quase oito décadas, a escola de Canelas encerrará as suas portas ainda este ano. Era há muito previsível.
A freguesia, tal como o município, tem vindo a perder população muito por culpa da estagnação a que esta terra chegou, consequência natural do desprezo a que tem sido votada por parte das políticas municipais que se têm concentrado, quase em exclusividade, nas freguesias maiores do concelho. Uma terra que não tem nada para oferecer a quem cá pretenda viver não se desenvolve nem cresce e vai-se esvaziando de vida.
Canelas, tal como Fermelã, em breve serão terras onde não há escola, atendimento de saúde, nem qualquer outro serviço público. E a população, sobretudo a mais jovem, continuará a procurar melhores rumos, enquanto que quem por aqui vai ficando parece não ter coragem sequer de dar um grito de revolta contra aqueles que tal destino lhes traçaram.

Continuando...

Continuando a análise promessas vs. realizações, mais um tema:
URBANISMO
- Incentivar a implementação da postura de trânsito
- Criação de espaços para estacionamento no centro da freguesia
- Criação da "Bolsa de Habitação"
- Levantamento de casas desabitadas ou em ruínas
- Incentivo ao restauro e utilização, juntamene com a Câmara Municipal
- Conservação e melhoramento das vias de circulação da freguesia
- Requalificação do acesso sul a Canelas
- Asfaltamento do troço Picoto sul - Passagem superior A1 (Aldeia)
- Estudo da ligação Canelas - Albergaria
- Estrutura de suporte de terras no cemitério novo.

O desafio continua: assinalar as obras realizadas!

quinta-feira, junho 06, 2013

Balanço - 3

Continuando o exercício anteriormente proposto... sobre as promessas eleitorais da coligação PSD/CDS-PP para os últimos 4 anos.

2º Tema
CULTURA & LAZER
- Promover a elaboração do projecto do futuro espaço multiusos de Canelas, constituído por:
> Núcleo museológico
> Centro de eventos
- Continuar a reabilitação do Ribeiro de Canelas, aproveitando a operação prevista do POLIS da Ria para a execução desta 2ª fase de actuação na zona do Ribeiro
- Potenciar a realização de eventos de interesse público nas instalações da Junta de Freguesia.
- Apoiar e dinamizar o projecto "Estação Viva":
> Artesanato; Percursos Bioria
> Acolhimento ao visitante
> Eventos culturais
- Conservar e desenvolver o projecto ambiental Bioria.

Notas:
1- Há que referir que, da parte da Junta, foi eleborado um projecto para o tal espaço Multiusos que teve apoio zero da Câmara Municipal, pelo que a ideia de dotar a freguesia desse equipamento não passou disso mesmo.
2 - Da mesma forma importa dizer que os percursos Bioria do Rio Jardim e do Bocage, ainda não passaram de parentes pobres do projecto Bioria, que se centra exclusivamente nos percursos de Salreu. Aqui, o desenvolvimento foi igualmente zero.