Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, maio 27, 2013

Balanço - 1


Na recta final de mais um mandato, é tempo de balanço.
Lembro-me que, há sensivelmente 4 anos,  no dia da apresentação da lista por mim liderada  e do Programa para o concelho e para Canelas, que a candidatura do Fernando Mendonça preconizava, deixei publicamente o desafio para que cada Canelense guardasse o folheto que distribuímos  e que, caso ganhássemos a Câmara e a Junta de Canelas, nos confrontassem no fim do mandato e nos apontassem as obras que tivessem ficado por fazer.
A isto chama-se seriedade e não propaganda barata como a que já estamos habituados .
Pois bem; é esse exercício que pretendo fazer aqui e agora: o balanço de mais 4 anos.
Comecemos então pelo panfleto da coligação, intitulado “Canelas o Melhor Caminho”. Provavelmente a maioria, ou melhor, a quase totalidade dos habitantes da freguesia não se lembrarão já das promessas que lhes foram feitas - ou renovadas – nessa altura.
Mas, não sendo elas muitas, também não se afigurará difícil esse avivar de memória.
Dizia o tal folheto da coligação que “até 2012, a EN109 será urbanizada, com passeios, menos pesados e mais segurança”. Mesmo não entendendo o que se pretende dizer com os “menos pesados”, a velhinha 109 aqui está exactamente na mesma, ou melhor: mais degradada.
Segue-se o Centro Cívico. “Além do estudo para sul, terá projecto envolvente à Rua de S. Tomé, visando estacionamento e um equipamento cultural”. Pois… nem obra, nem projecto!
Dando de vantagem o apoio às colectividades,  a reivindicação de uma farmácia, se é que houve, não passou disso mesmo.
Relembra-se a beneficiação interior da escola – uma escola que provavelmente em Setembro fechará definitivamente as suas portas, por iniciativa e responsabilidade exclusiva da CME.
Fala-se depois do Projecto Agrícola do Baixo Vouga – também ele no ponto zero.
Diz-se a seguir, que “o Ribeiro renasceu e cresceu com o primeiro Campo de Andebol de Praia. O arranjo do Parque do Mercado já se vê (…) e vamos continuar a recuperar essa área pois a 2ª fase do Ribeiro e envolvente é das primeiras obras do Polis da Ria como definido pela Câmara”. Do campo de andebol nem valerá a pena falar aqui, uma vez que a sua utilidade / utilização não vai além da nulidade. Quanto  à  2ª fase das obras… nem vê-la!
Fala-se seguidamente nos jovens (fica sempre  bem falar nos jovens), ligando-os (?)à Estação Viva  e à redução das taxas para construção e habitação. Melhor seria dizer-se qual a taxa de IMI praticada no município ou mesmo perguntar em que é que os jovens beneficiaram da acção da CME.
E termina com assim: “Canelas está mesmo n’O Melhor Caminho e em equipa com o Gabriel Tavares acompanhado pelo Sr. Simões, queremos continuar a trabalhar mais pelos Canelenses.” Qualquer cidadão, por muito pouco esclarecido que esteja, percebe facilmente que não se cansaram. Basta olhar à volta.
É tempo de o povo perceber que há outras opções, com gente que se interessa por Canelas e pelos Canelenses. Gente com projectos para serem concretizados e não para serem apenas “armas” de campanhas eleitorais. Gente que sabe que isto dá trabalho e que está disposta a encarar este desafio, acima de tudo, como um dever de cidadania por amor à sua terra.
Falar-se-á oportunamente, também em jeito de balanço,  do programa mais detalhado que foi prometido para Canelas pela coligação PSD/CDS. Recordar-se-ão também as propostas da candidatura do Futuro Feliz, para que se percebam as diferenças entre a tal mão cheia de tudo e a mão cheia de nada com que a minha terra foi brindada, mais uma vez.

1 comentário:

Vento disse...

as únicas "terras", pelo país inteiro, que não foram brindadas com mãos cheias de nada, foram, são e queira Deus que não continuem a ser, as que já estavam cheias de tudo...

e o País
agonizando...

beijo, CR