Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sexta-feira, setembro 14, 2012

BASTA!


A verdade é que desde 74 os sucessivos governos outra coisa não fizeram que desbaratar  toda a riqueza do país.  Modernizaram-se as ideias, alimentaram-se os malandros, subsidiaram-se os que não querem trabalhar, arranjaram-se empresas e cargos de gestão para os amigos, foirjaram-se centenas de contratos de obras públicas, alimentaram-se impunemente sucessivas derrapagens financeiras, e tudo isso atirou o país para a miserabilidade em que se encontra e de onde dificilmente saírá.
Os governos  destróem, o povo paga.
E o povo é como um dador de sangue a quem normalmente é pedido que contribua, sem que isso venha a afectar  sua saúde. Para isso há regras. Presentemente, essas regras de decência, da ética e do bom senso estão subvertidas a tal ponto, que o que acontece é que lhe sugam constantemente o pouco sangue que ainda lhe corre nas veias. Até à morte.
Justo seria reduzir a necessidade de sangue e não aumentar a sua recolha. Em breve teremos um país a fazer figura por cumprir metas estúpidas e completamente desajustadas à realidade do país, mas onde vivem 10 milhões de mendigos e 50 ou 100 mil alambazados com o que não é, por direito, seu.
Perante esta recente - mais uma - manobra de diversão deste governo, que faz o presidente da república? Silêncio, como sempre! Mas não foi ele que há poucas semanas avisou o governo que não havia espaço para mais medidas de austeridade?
É preciso dizer BASTA!
E é o povo que tem de o dizer, enquanto não lhe levam também a voz.
Este governo, sem olhar ameios,  foi atrás da ilusão fácil de recuperar em dois anos o que foi dstruído em 35. E fê-lo sempre pelo pior caminho. Cego e surdo, transformou-se num moço de recados da Troika, chegando mesmo a vangloriar-se por superar os acordos estabelecidos, sem perceber que estava a asfixiar por completo o país.
Acredito que tem os dias contados. E, se o governo anterior foi coleccionando PEC's, tendo sido o último deles a gota de água que fez transbordar o copo, há muito que Passos Coelho tem vindo a fazer pior, ao enganar o país dizendo que não serão pedidos mais sacrifícios aos portugueses, quando a cada semana que passa os vai carregando com mais e mais sacrifícios.
De facto, são já demasiados os PECadoS deste governo para que se posse deles redimir. Só lhe resta uma única saída: reconhecer que falhou na tarefa a que se propôs, e ir embora antes que seja corrido. Afinal, as contas públicas não estão controladas, o déficit continua a ser uma nuvem negra a pairar sobre o país, a despesa pouco encolheu, o desemprego aumentou e com ele a despesa do estado que é hoje muito menos social do que há 1 ano e tudo isto tem custado aos portugueses a casa, o pão na mesa, os medicamentos, o emprego, etc.
Não se vem falar de austeridade aos portugueses deixando estacionados à porta da RTP BMW's e Mercedes topos de gama com motorista e tudo; Não se vem falar de austeridade  vestido com luxuosos fatos e com os melhores acessórios. Para se ter alguma dignidade para se  falar em austeridade, é preciso que se baixe ao nível daqueles a quem se rouba diariamente o futuro e as mais básicas condições para uma vida digna. Austeridade não é uma palavra; é realidade, é dor, é insegurança, é desemprego. No fundo, é sentir na pele aquilo que se dá aos outros porque ver lá de cima é fácil. Tão fácil que esta ralé que nos governa parece nunca mais querer parar.

Sem comentários: