Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, outubro 31, 2011

UM PAÍS DE BANANAS

Enquanto todos os dias o Sr. primeiro ministro insiste em lembrar aos Portugueses que a situação económica do país é gravíssima,  e por isso se julga no direito de nos chicotear com sucessivas e impiedosas medidas de empobrecimento acelerado da população, há outros portugueses para quem a dita crise e os sacrifícios a ela ligados são apenas meras fantasias.
Recentemente, a Função Pública ficou a saber que, pelo menos até 2013 - eu diria que para sempre - ficará privada dos subsídios de férias e de Natal.
Entretanto,  a Srª Presidente da Assembleia da República através da Resolução nº 131/2011 de 30 de Setembro, aprovou o Orçamento da Assembleia da República para o ano de 2012, e onde consta [aqui], a folhas 4689, no Capítulo Despesas com Pessoal, Rubrica 01.01.14, o montante de 2.093.650,00€ para pagamento dos subsídios de Férias e de Natal.
Nem sequer está em causa se os mais de 2 milhões de euros é muito ou pouco; o que está em causa é simplesmente o direito que assiste ao governo de retirar os mesmos subsídios a alguns funcionários públicos enquanto os mantém a outros.
Percebe-se desde há muito que o caminho que o governo quer impôr aos portugueses, não é para ser seguido por todos, sendo que a protecção e impunidade da classe política é para continuar e, se possível, reforçar.
Não é meu hábito a utilização de linguagem menos digna ou ofensiva para com quem quer que seja, mas permita-me Sr. primeiro ministro que daqui lhe diga apenas  o seguinte: tenha vergonha quando voltar a pedir mais sacrifícios aos portugueses enquanto permitir que só a Assembleia da República torre, apenas num ano,  quase 100 milhões de euros. E envergonhe-se também quando concretizar o roubo aos funcionários públicos dos subsídios atrás referidos porque, de facto, trata-se efectivamente de um roubo e o Sr. será lembrado por isso.

1 comentário:

Anónimo disse...

comcordo em pleno com o comentário acho ainda bastante moderado