Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sexta-feira, janeiro 28, 2011

UM CHEIRINHO A CARNAVAL

A imagem acima foi retirada do último número do Boletim Municipal da Câmara de Estarreja, que em breve deverá estar  nas caixas de correio dos munícipes e merecia ter sido colocado não na última página mas na capa da mesma. E, se mais não fosse, merecê-lo-ia por ser essa a 3ª referência feita a Canelas nas 48 páginas da revista.
Mas é pelo conteúdo que se lhe fica a dever o destaque e confesso que tive dificuldade em compreender a proveniência de tão garboso elogio:  Canelas - a minha freguesia -  finalmente na sendo do sucesso, teve a honra de  ver publicado um elogio à  Câmara!
Passado um mês sobre uma Assembleia de Freguesia em que tive oportunidade de louvar a atitude do Sr. presidente da Junta pelo facto de este ter feito sentir à Câmara Municipal que Canelas precisa de muito mais, aparece alguém (há sempre alguém) deveras satisfeito com a actuação da Câmara.
Apesar de respeitar a opinião, mesmo que anónima (já me habituei a que são poucos os que neste concelho dão a cara pelo que pensam), jamais poderia concordar tal bajulação, que classifico apenas de ridícula e demonstrativa de um completo alheamento do que se passa ao nível da realização de obras nesta freguesia.
Perguntar-me-ia se o autor do pequeno texto vive, de facto, em Canelas e desafiava o anónimo opinador a fazer uma restrospectiva aos mandatos da Prof. D. Maria de Lurdes Breu e do Dr. Vladimiro Silva no que toca às obras por eles deixados em Canelas, numa altura  de Orçamentos mais apertados e sem quaisquer apoios comunitários.
E lembraria apenas as mais significativas, como por exemplo: os quilómetros de caminhos rasgados no campo e no monte; a construção do dique; o alargamento e alcatroamento da rua da Mata perspectivando a ligação a Albergaria que, apesar de saltitar de PA em PA, esta Câmara não tem arrojo para concluir; a transformação  do Campo da Cruz; o enorme apoio à construção do Pavilhão do Arsenal; o largo Francisco Bingre; o Centro Social; a Sede da Junta; a rede de água; alargamentos diversos e de reconhecida urgência, dos quais saliento as ruas do Espinhal, Bandulha e General Beirão - esta abrindo uma das actuais (poucas)  frentes de construção da freguesia, etc.
Comparativamente, que grandes obras vai deixar em Canelas a era José Eduardo?
- O saneamento, herdado do último mandato de Vladimiro Silva?
- Um ou outro alargamento de menor importância?
- Os percursos Bioria comparticipados pela União Europeia?
- As obras do Esteiro?
- A Estação Viva que afinal, pelo que se ouve, ninguém parece perceber a utilidade?
- A certeza do encerramento da escola?
- O fantasma do encerramento do Posto Médico?
- A intenção - já gasta - da instalação da farmácia?
- Um novo Lar / Centro Social dando resposta à principal carência da freguesia?
- Um PDM não redutor das zonas de construção?
- Uma A29 sem que tenha sacado qualquer contrapartida / investimento para a freguesia?
- Habitação Social  em Canelas?
- O problema do estacionamento no Campo da Cruz resolvido?
- Uma aposta no desenvolvimento agrícola através da projecção da carne de raça marinhoa, por exemplo, e  à semelhança de outros municípios que souberam promover e colocar no mercado produtos característicos das suas regiões?
- Um local onde se possa recolher e preservar o riquíssimo património histórico da freguesia e que vai desaparecendo a olhos vistos?

Para aqueles que têm acompanhado a actividade da Câmara Municipal no que diz respeito à concretização de obras pelas 7 freguesias do  município, e já são alguns,  o comentário do suposto habitante de Canelas é pouco menos que ofensivo. Considerá-lo-ia natural vindo de Avanca, Pardilhó ou Beduído, agora de Canelas?...
Ao seu autor e a outros que porventura o subscrevam, deixo o convite para participarem nas Assembleias de Freguesia, (o local próprio para se debaterem estes temas - é certo que apenas por dois ou três elementos, mas a verdade é que se debatem), e assim tomarem contacto com uma realidade supostamente bem diferente da que aparece espelhada no referido comentário.
Talvez depois de uma ou duas sessões, fiquem a perceber alguma coisa do que aqui se fala.
Para terminar, sugeria (ao autor do comentário) o seguinte exercício: tomar o montante global dos investimentos reais  feitos em Canelas e dividi-lo per capita e fazer o mesmo em relação às outras freguesias. Sei que dá trabalho mas, para facilitar, e por estar ainda fresco,  bastará apenas pegar no ano 2010, embora qualquer outro sirva - mesmo o da campanha eleitoral - e talvez chegue a uma conclusão interessante. Depois, comente de novo.
Ficamos a aguardar.

3 comentários:

Anónimo disse...

Não se iluda com o que foi feito nas outras freguesias. É mais ou menos igual a Canelas. O Camilo é que não vive nelas, por isso, acredita na publicidade que a Câmara faz.
Tal como nós, que vivemos numa das outras, acreditamos, ao ver a publicidade da Cãmara, que está tudo muito bem em Canelas.

Anónimo disse...

provavelmente, o agradecimento foi redigido por um anónimo escriva do folheto publicitário da autarquia. Sempre é uma terceira referência à freguesia e ajuda a preencher o esterco propagandístico.
Mas, admito que algum agradecido por qualquer favor ou graça recebida, possa ter enviado a mmissiva espetada nalgum leitão. É assim que as coisas funcionam.

Falcão Peregrino disse...

A colocação de tal comentário, que cheira nitidamente a invenção e a encomenda, seria sempre ridículo, qualquer que tivesse sido a acção camarária na freguesia, e tresanda a propaganda saloia. Pessoalizada, torna-se ainda mais confrangedora. Elogiando o nada, torna-se ainda mais caricata...