Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sexta-feira, outubro 29, 2010

OBRIGADO, CHERNE

Segundo o semanário Sol, a Comissão Europeia, por proposta do seu presidente, Durão Barroso,  pretende sancionar os Estados membros que apresentem derrapagens financeiras nos seus Orçamentos.
Entre as sanções previstas, salienta-se a abertura de um depósito bancário de valor igual a 0,2% do PIB, valor este que poderá ser perdido caso o déficit orçamental ultrapasse os 3% do referido Produto Interno Bruto.
Tomando por exemplo a realidade portuguesa, esta é uma forma de ajudar à "festa", sem dúvida alguma, pois está visto quem é que vai  acabar por pagar a respectiva factura.
Aceitava-se tal medida, se fossem os verdadeiros responsáveis  por estes desvios a pagar do seu bolso os desvarios cometidos. Como tal nunca vai acontecer, melhor seria então que a Comissão Europeia, para os casos crónicos como o de Portugal, nomeasse um punhado de gente dos diferentes países, para vir governar isto 4 ou 8 anos. 
Gente que tivesse como objectivo único, o equilíbrio orçamental e o desenvolvimento económico do país, e que anualmente prestasse contas perante a CE, pois está visto que os de cá, o que sabem fazer, é f.... o povo e governar-se a eles próprios.
Como era de prever, e depois de mais uma patética e birrenta telenovela a discutir tostões,  o Orçamento para 2011  vai passar, com a concordância do PSD, que será co-responsável pelo que vier a suceder no(s) próximo(s) ano(s). Um Orçamento que não vai resolver problema algum, a não ser espremer os mesmos de sempre até ao tutano.
O caricato no meio de tudo isto é constatar que, de repente, toda a gente passou a ter medo da crise política, dos mercados financeiros, da credibilidade externa, da ameaça da intervenção do FMI, etc. mas, enquanto alguns iam afundando o país, ninguém se preocupou pois a vida corria-lhes bem.

quarta-feira, outubro 27, 2010

Crónica de um hara-kiri político anunciado

[Esta] é, provavelmente, a melhor crónica que já li sobre o momento actual a qual, se o autor me permite, subscrevo na íntegra. Uma análise livre, como livre é o pensamento... de certa gente.
Para ler, reler e perceber as entrelinhas.

segunda-feira, outubro 25, 2010

PÓLVORA SECA

Como é anunciado no site da Câmara Municipal, podem agora os cidadãos enviar por mail as suas propostas para inclusão no Plano de Actividades Plurianual para Estarreja.
Esta coisa de permitir a qualquer cidadão participar na preparação do Plano de Actividades da Câmara tem o valor que tem.
É óbvio que, filtrada a participação, no dito Plano constará o que a Exmª  Câmara Municipal entender, fazendo-se acreditar que daí resulta um Orçamento participativo. Tretas!
As minhas, já longas, andanças por estas coisas, testemunham que habitualmente a Câmara pede às Juntas de Freguesia um rol de intenções a incluir no dito Plano de Actividades. No fim, a Câmara coloca lá o que bem entende, sendo que algumas das obras inclusas, nem as juntas de freguesia vêem qualquer interesse nelas, quanto mais o povo mas, como a maior parte também não sai do papel, o prejuízo é menor.
Quanto às Assembleias de Freguesia – representativas de uma faixa muito mais alargada da população votante – nada. Nunca foram tidas nem achadas nos mandatos da coligação.
É por isso de estranhar esta abertura a toda a população, quando são esquecidos os órgãos que a representam, e que  devem sentir essa responsabilidade (de representação).
De resto, e tomando por base o tipo de obras inscritos nos PA da Câmara Municipal de Estarreja a realizar nesta freguesia de Canelas, é óbvio que voltaremos a ter mais do mesmo.
A reparação de um ou outro caminho agrícola, o alargamento de uma ou outra viela, um embelezamento aqui ou acolá  - obras ao alcance da JF - e pouco mais.
O que se espera de um Plano de Actividades – em especial de um Plano designado de Plurianual – é muito mais. Espera-se a inclusão de obras que sejam mais-valias para o futuro e que tragam algo de diferente e útil para o desenvolvimento das freguesias (também das mais pequenas).
E foi isso que foi criado há cerca de um ano para esta freguesia e que fez parte de um programa eleitoral sério, objectivo e de prioridades óbvias,  mas que foi rejeitado. Depreende-se, portanto, que a maior parte população se dá por satisfeita com o que tem tido. Há que respeitar, e eu respeito, pelo que nem me atrevo a participar nesta tão nobre iniciativa da CME.
Agradeço assim, publicamente e pela parte que me toca, mas não estou interessado. Queira a Exmª Câmara de Estarreja a participação das freguesias e bastará, para tal - e como já em outros tempos foi feito -  que aqui se desloque, a fim de ouvir, de viva voz, o povo que a elegeu … e os outros.
E se, para tal, for necessário marcar mais uma semana cultural ou gastronómica, é só dizer.

INFORMAÇÃO

Assiste-se actualmente, na freguesia de Canelas, a um sentimento apreensivo no que diz respeito ao futuro da sua Unidade de Saúde.
As conversas de circunstância denotam a preocupação dos utentes pelo facto de na passada semana os médicos que prestavam serviço no Posto Médico, terem deixado de o fazer.
Contudo, informações recolhidas superiormente,  garantem que no próximo mês de Novembro vai ser colocado um novo médico em Canelas.
Saúda-se que assim seja, e só é pena que a informação não corra de imediato para tranquilização dos utentes, a quem  na sexta-feira passada não foi prestado qualquer esclarecimento.

domingo, outubro 24, 2010

A LISTA - 2

Em cima, os vencimentos; em baixo o resultado das respectivas gestões:  a verde, os lucros e a vermelho o prejuízo.
Bendito país que assim paga a quem tanto prejuízo dá... ou a quem pouco ou nada produz.

terça-feira, outubro 19, 2010

Seminários e publicidade vão custar mais seis milhões - Economia - DN

Seminários e publicidade vão custar mais seis milhões - Economia - DN  
Ler aqui.

É para isto que querem aumentar o IVA, reduzir os salários, cortar a comparticipação em medicamentos, portajar as scuts,  diminuir ou retirar os benefícios fiscais, aumentar o IUC, etc, etc.?
O que é que vai na cabeça desta gente? E não há ninguém que os corra a pontapé, à chapada, a tiro, ou de qualquer outra forma?
É difícil, perante tudo isto, manter a calma e serenidade que se aconselha a quem escreve algo e, por isso, me desculpem todos os que aqui vêm e neste momento se deparam com algum desvio da habitual linha de escrita, mas este bando de energúmenos tira do sério qualquer um.
Basta! Ou será que ainda não?


domingo, outubro 17, 2010

A LISTA

da pouca vergonha que explica uma boa parte das premissas que levaram ao momento actual.







Mais escandaloso que os montantes, as acumulações e afins, é esta cultura instalada de impune compadrio, bem como as más governações e gestões produzidas, premiadas desta forma  vergonhosa. E a lista poderia multiplicar-se por ela própria... tudo em nome do serviço público, e com um verdadeiro e admirável Sentido de Estado.

sexta-feira, outubro 15, 2010

SANGUESSUGAS


Continuar a ler em "O Público."

Esta corja não deixa de surpreender pela falta de princípios, pela incompetência e, sobretudo,  por esta forma ignóbil de produzir cada vez mais pobreza.
E nem o aviso que fez  há 3 anos [aqui], impediu que lhe dessem de novo  o governo. 
Mais esclarecedora, só mesmo a sondagem mostrada hoje no Jornal da Tarde em que PS e PSD colheriam actualmente cerca de 35% das intenções de voto cada um. Deduz-se, obviamente, que ainda há muita gente satisfeita. Ainda bem.

quinta-feira, outubro 14, 2010

AVANÇAR


(Mail recebido do autor da Petição)
Caros Amigos:

Foi hoje enviado ao Senhor Presidente da Assembleia da República um pedido de audiência para entregar a Petição. Pretendemos que ao abrigo da Lei n.º 43/90, publicada no Diário da República I Série n.º 184 de 10 de Agosto de 1990) entregar um dossier completo que permita a sua apreciação pelo Plenário da Assembleia da República, em tempo útil.
Neste momento temos mais de 41 000 subscritores.

Agradecendo o vosso apoio e as sugestões que foram dadas, apresento os meus cumprimentos,
 
M.V.

E a propósito, aqui fica um outro mail acabado de receber:

REFORMADOS ACTIVOS - SOMOS OS MELHORES

Ao menos num capítulo ninguém nos bate, seja na Europa, nas Américas ou na Oceania: nas políticas sociais de integração e valorização dos reformados.
Nos últimos tempos, quase não passa dia sem que haja notícias animadoras a este respeito. E nós que não sabíamos!
Ora vejamos:


* O nosso Presidente da República é um reformado;
* o nosso candidato a Presidente da República é um reformado;
* o nosso ministro das Finanças é um reformado;
* o nosso anterior ministro das Finanças já era um reformado;
* o ex-Ministro das Finanças Ernâni Lopes que propõe que se cortem os vencimentos dos Funcionários Públicos em 25 % é Reformado da CGD desde os 47 anos de idade!
* o ministro das Obras Públicas é um reformado;
* gestores activíssimos como o ex-ministro Mira Amaral são reformados;
* o novo presidente da Galp, Murteira Nabo, é um reformado;
* entre os autarcas, "centenas, se não milhares" de reformados - garantiu-o o presidente da ANMP;
* o presidente do Governo Regional da Madeira é um reformado .
E assim por diante...

Digam lá qual é o país da Europa que dá tanto e tão bom emprego a reformados?


ONDE É QUE SE CORTA?

quinta-feira, outubro 07, 2010

Se o PSD

tem, de facto, um Programa de Governo para resolver a crise em que o país está mergulhado e, se esse Programa aposta em reformas múltiplas que reduzam, já no próximo ano, a despesa pública do Estado, sem que tal signifique que muitos (mais)  portugueses deixem de ter o suficiente para comer ou para a saúde - o que não creio - só tem uma opção: rejeitar o Orçamento Geral do Estado,  provocar a queda do governo, e mostrar que não anda a brincar com tudo e com todos e com conversa fiada.
Deixem-se lá da treta da instabilidade política porque ela é seguramente o que menos preocupa os portugueses,  e tratem mas é  da estabilidade económico-financeira mostrando, interna e externamente, uma política credível e com resultados práticos positivos.
E podem começar por dar seguimento aos objectivos [desta petição pública] que circula pela internet que já será um bom começo.





Imagem da net

quarta-feira, outubro 06, 2010

UM PASSO IMPORTANTE

Nunca dei muita importância a Petições Públicas, essencialmente  porque nunca se lhes sabe o fim que levam. Contudo, [esta] merece-me a melhor das atenções até porque vem na sequência [deste] post. Espera-se que o assunto seja debatido na Assembleia da República (penso que é esse o passo seguinte deste género de participação) mas aí a coisa deve complicar-se... e o mais certo e óbvio é que tudo fique como dantes.
No entanto, fica a manifestação intencional de alguns milhares de cidadãos que, pelo número de assinaturas  que já  leva, merece ser tida em conta. 
E neste cenário de crise económica, é um contributo sério para a diminuição da despesa pública, assim o queiram entender os do poder.

domingo, outubro 03, 2010

NO COMENT

Sever do Vouga: Misericórdia inaugura Lar de Idosos “de quatro estrelas.”

Obra ontem inaugurada permite acolher mais 30 utentes em instalações de elevada qualidade, num investimento que rondou os 570 mil euros. Ler mais »»

Em Estarreja, pelo mesmo preço, constrói-se uma ponte pedonal... por cima dos campos de milho. Tudo uma questão de opções, ou de visões...

sexta-feira, outubro 01, 2010

Enquanto o governo

 e o PSD brincam às aprovações do Orçamento de Estado (passa / não passa), esta cambada de bandoleiros, apertados por forças externas, carregam desmesuradamente de novo em cima do povo.
Quando aqui tenho dito que o actual responsável por esta vergonha é o presidente da república, refiro-me obviamente às suas responsabilidades que assumiu sob juramento de cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa.


Artigo 81.º


(Incumbências prioritárias do Estado)


Incumbe prioritariamente ao Estado no âmbito económico e social:


• a) Promover o aumento do bem-estar social e económico e da qualidade de vida das pessoas, em especial das mais desfavorecidas, no quadro de uma estratégia de desenvolvimento sustentável;


• b) Promover a justiça social, assegurar a igualdade de oportunidades e operar as necessárias correcções das desigualdades na distribuição da riqueza e do rendimento, nomeadamente através da política fiscal;

Aumentar o bem-estar social e económico e da qualidade de vida, promover a justiça social, assegurar a igualdade e corrigir as desigualdades obrigando os mesmos de sempre a pagar pelas irresponsabilidades governativas? Será esse o caminho?
Justiça é obrigar quem ganha 500 euros/mês a pagar 23%, de IVA, da mesma forma que os que ganham 30.000?

E se começássemos por reduzir o número de deputados da Assembleia da República? Se a Constituição estabelece um número entre 180 e 230, porque teremos que levar com os 230 se já os 180 são demais?
- E o infindável número de assessores, assessores de assessores, secretárias e secretárias das secretárias? Que tal se fossem alvo de uma triagem?
- E as múltiplas reformas acumuladas?
- E as frotas de carros topo de gama custeadas pelo erário público, que também servem para ir às compras ou para levar os meninos ao colégio? Porque não vão os senhores ministros, deputados e afins, para o “trabalho” a expensas suas, como a maior parte dos trabalhadores deste país?
- E as reformas aos 45, 50 ou 55 anos, após meia dúzia de anos de exercício de cargos políticos? Serão justas, tendo em conta todos os que só a alcançam aos 65?
- E a proliferação de Institutos de coisa nenhuma?
- E as ajudas de custo e subsídios de Reinserção Social, na ordem dos milhares de euros?
- E os loucos salários dos lugares de administração das empresas públicas para satisfação e gáudio dos “boys”? Quanto custam ao país?
- E as subvenções dadas aos partidos, de onde tem saído esta gandulagem que apenas tem delapidado a economia do país? Será justo continuar o seu financiamento?
- E os milhões que vão direitinhos para as Campanhas Eleitorais? Que aproveitamento deles fazem os portugueses?
- E as obras públicas que custam 5, 6, ou 10 vezes mais do que o orçamentado? Quem responde por esses desvios?
- E a insistência em mega-projectos de TGV’s, Aeroportos, Auto-Estradas, IC’s e C.ª, à custa do endividamento suicida do país?
Será tudo isto a tal justiça social de que fala a Constituição? Se não é, que fazer então a um governo que não cumpre com o disposto na Constituição, Sr. Presidente?

O Orçamento de Estado para 2011 até pode passar mas será sempre um Orçamento doente, que irá produzir maior instabilidade social. Disso ninguém duvida.

A falta de capacidade e seriedade de uma política governativa, acaba sempre no  aumento de impostos  que pode injectar dinheiro a curto prazo nos cofres do Estado mas não resolve a crise. Muito pelo contrário; retira poder de compra, e asfixia a economia familiar pelo que jamais poderá produzir desenvolvimento. E se não houver desenvolvimento, aumento de emprego, produtividade e competitividade das empresas,  jamais o país levantará a cabeça.
O certo é que os responsáveis por tudo isto passam completamente ao lado das medidas que decretam, e no fim ainda são condecorados…