Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

quarta-feira, junho 30, 2010

O REGRESSO DA NAU

Era óbvio que a imprensa de hoje iria catapultar a derrota da selecção nacional para principal notícia do dia.
Todos os jornais diários emolduram a primeira página  com uma fotografia alusiva a tão grave acontecimento, e o "Público" pergunta mesmo: "Que fizemos nós para merecer isto?"
Pois fizemos tudo, meu caro jornalista. E o tudo começa logo no início quando de endeusa esta gente que se nega a representar o que quer que seja (o país) se não lhe pagarem quanto querem, e se não forem tratados como reis. 
Afinal, temos tudo, desde o(s) melhor(es) jogador(es) do mundo, um dos treinadores mais bem pagos da actualidade, apoio logístico ao mais alto nível, e na hora da verdade acabamos, como sempre, ou a fazer contas pelos dedos ou de joelhos, como ontem.
E depois, a eterna mania de que qualquer jogador que jogue no estrangeiro tem de ser convocado, é mal que nunca mais acaba. É vê-los - os melhores -  a passar completamente ao lado do(s)  jogo(s).
Para quem tanto abriu a boca com a palavra "campeões do mundo", está dada a lição. Em boa hora, convenhamos.
Cabe aqui uma referência a selecções cujo alojamento se ficou por 50 euros /dia...
Provavelmente ganharão tanto como a nossa, mas deixam, sem dúvida, uma imagem de seriedade e de honestidade para com os povos que lhes pagam, muito ao contrário da lusa embaixada.

1 comentário:

Falcão Peregrino disse...

Caro Camilo, não seja mau para a rapaziada da selecção...aquilo era só uma diária de 800 euros para cada jogador, um prémiozito de 80.000 euros por bico pela passagem aos oitavos de final, etc, etc, o resto nem vale a pena lembrar, foi-se...e portanto, por estes números que ele acha tão modestos, já se vê que o antigo magriço António Simões que não tem nada a ver com o autarca canelense, nada de confusões, estava cheio de razão quando falava no significado de ir à selecção para os jogadores e dizia que neste caso o dinheiro era uma coisa secundaríssima...claro, estamos a ver, olha se não fosse uma coisa tão secundária...e anda este povo cheio de carências e de problemas graves a entregar o seu tempo, os seus anseios e as suas preocupações a essa maralha...que tristeza!!!