Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, abril 26, 2010

HÁ QUEM PREFIRA LAGOAS EMPAREDADAS

Ora, nada como mais uma farpazinha  de um conhecido amigo desta "Nostra Terra" para começar a semana. É motivador  e eu, pessoalmente, convivo perfeitamente com isso e  melhor ainda neste tempo que começa a aquecer...
Não é que entenda dever perder muito tempo com o caso. Todavia, haverá por aí quem pense da mesma forma e estou a lembrar-me, a propósito,  de tudo o que foi dito acerca do projecto de construção de uma estrutura que abarcaria um Lar de Idosos,  Centro de Dia e Infantário, a construir aqui nesta freguesia de Canelas. e em tudo o que previamente foi feito,  por forma a garantir a sua realização.
E estou a lembrar-me também da argumentação usada para descredibilizar a dita construção; estou a lembrar-me das barbaridades ouvidas e do vale tudo; estou a lembrar-me da palavra mordaz dita pela calada da noite em murmúrios acobardados e/ou anónimos pela falta de coragem de falar alto; estou a lembrar-me até das muitas vezes (que não consigo contar) em que ouvia "se fosse pelo PSD com essa equipa e com esse programa, era a maior maioria de sempre"- a esses agradeço o reconhecimento pela equipa e pelo programa; lembro-me ainda de muitas coisas mais... pode ser que um dia dê um best-seller, quem sabe?
Quem não tem capacidade para, coloca todos ao mesmo nível. É reconfortante, convenhamos...
Mas, voltando ao tema da tal "lagoa",  devo dizer-lhe, meu caro que, por se tratar de um assunto sério, houve necessidade de garantir antecipadamente a sua exequibilidade - tal como aconteceu com o lar de Canelas e com a quase totalidade dos projectos apresentados pelas candidaturas afectas ao Fernando Mendonça e sabe porquê? Simplesmente porque entendemos que o exercício do poder autárquico deve ter por base a responsabilidade, não é brincadeira de fim de semana ou de vésperas de eleições.
Obviamente que esses estudos e/ou garantias foram um trabalho aturado, feito por gente altamente conceituada e responsável,  que fizeram parte de um Projecto para Estarreja e para as freguesias, mas que o povo entendeu não valorizar. Assim sendo, parece-me ridícula e imatura a pretensão do amigo Zé Matos (tal como de outros) de querer aceder aos mesmos. Nem parece coisas tuas, Zé.
Só entendo isso como uma tentativa - mais uma - de descredibilizar o projecto, que pelos vistos ainda continua a incomodar.
Percebo que haja quem não acredite porque, provavelmente, partilhou  um programa de intenções que, por nada trazer de verdadeiro interesse público ao concelho, não carece de outra coisa que a simples publicação num folheto de campanha. Já outros foram muito mais longe,  e tenho pena  que daqui a 4 anos não esteja  o Zé e todo o concelho  a cobrar pelas obras não cumpridas. Veria a diferença, estou certo.
Há quem se julgue superior  porque nivela tudo e todos abaixo de si; mas há quem, mesmo perdendo eleições dê verdadeiras lições, coisa que, a julgar pelo escrito do Zé, não está ao alcance de todos os ganhadores.

domingo, abril 25, 2010

A ESCOLHA DA SEMANA

vai para o discurso do [Sr. Presidente da República] na comemoração dos  36  anos passados sobre o 25 de Abril. 
Sublinho a parte das novas oportunidades que, em seu entender, poderão ser o futuro de muita gente actualmente desempregada, sobretudo jovens: as indústrias criativas. Foi um claro apontar de caminho...
Há cerca de 6 meses, e em completa antecipação, Fernando Mendonça defendia ser esta uma das saídas para a juventude de Estarreja e uma das suas prioridades para o desenvolvimento e criação de emprego no concelho.
Ninguém lhe deu ouvidos... mas nem por isso deixou de ter razão.

sexta-feira, abril 23, 2010

OUTRAS VISÕES

A propósito de uma tal ideia de requalificação de um espaço contíguo às margens do rio Antuã, leia-se a [deliberação da Câmara Municipal de Ovar], de 18 de Março, p.p..
De facto, muda-se de concelho, seja para norte, sul, nascente ou poente, e encontra-se logo uma nova mentalidade e uma nova visão para o futuro.
Por cá, o Projecto com algumas semelhanças, embora mais amplo, era megalómano, irreal ou hilariante. E era de facto, mas para quem não tinha competência para o desenvolver.
Poderá questionar-se a oportunidade da sua realização dada a situação económica do país, mas também é verdade que estão a esgotar-se as oportunidades de financiamento, pelo que quem tem argúcia leva a melhor e sabe aproveitar.
Uma zona de lazer traz gente que gera movimento e comércio,  e as gentes de Ovar percebem isso. Em contrapartida, em Estarreja, quase se não vê viva alma aos domingos ou feriados, e nem o Café do Parque parece conseguir inverter a situação.
O Projecto do Fernando Mendonça para Estarreja - e falo com conhecimento do estudo prévio feito por gente credenciada na área, que o apontava como de excelência -  transformava o local numa zona de atracção única no Distrito e, além disso, abria novas frentes de construção numa zona que poderia vir a ser simplesmente, a melhor área urbanística de Estarreja - uma zona moderna, apetecível e com potencial quase inesgotável.
Poderá dizer-se  que era um Projecto ambicioso, transversal a pelo menos 2 mandatos, mas era, acima de tudo, uma nova forma de dinamismo político e um desafio a vencer que Estarreja e o concelho mereciam, não tenho qualquer dúvida.
É pena que neste concelho, a maioria da população se contente com uma mão cheia de quase nada, o mesmo é dizer, com pequenas obras que não fazem nem nunca farão a diferença...
Termino esta prosa com uma frase interessante da ex-líder do PSD, a doutora Manuela Ferreira Leite que, em  07/10/2009, em Bragança, disse: "o povo Português não nos deu a legitimidade para governar mas não é por causa disso que nos tirou a razão".
Nem mais, Dr.ª;  pelo menos por uma vez haveria de concordar consigo, e em absoluto!

segunda-feira, abril 19, 2010

O pão nosso de três milhões nos dai hoje...

É pública e notória a inversão de valores que tomou conta da sociedade portuguesa.
Presentemente, o circo é feito por profissionais de luxo e os palhaços passaram para o lado de fora, para a assistência.
António Mexia de seu nome, ministro das Obras Públicas,  Transportes e Comunicações ao tempo de Santana Lopes, actualmente Presidente Executivo da EDP, vai embolsar durante o corrente ano 3,1 milhões de euros!!!
O supra-sumo gestor do luso império "percebe o momento social" mas... este passa-lhe completamente ao lado pois vê-o de cima, muito de cima. 
É fácil assim resistir a todas as crises económicas, por mais devastadoras que sejam,  quando se engorda a conta bancária desta forma ignóbil e repugnante e com o acordo e aplauso dos accionistas da empresa, que mais não pretendem que a mesma coisa, mesmo que para isso o consumidor tenha de pagar com o próprio sangue o preço da energia.
Não creio que, por muito inteligente, aplicado e competente que seja um ser humano, possa merecer tal remuneração, sobretudo atendendo ao momento crítico que o país atravessa.
Percebe-se aqui e agora porque não baixa a EDP a factura mensal aos consumidores.
Uma sugestão: aproveitar as altas competências do referido senhor e da sua equipa de excelência para a recuperação das empresas públicas que presentemente dão prejuízo. De que está o governo  à espera para proceder às nomeações? 



sexta-feira, abril 16, 2010

FALA QUEM SABE

The Next Global Problem: Portugal à beira da bancarrota.
[Este artigo] do New York Times sobre a actual situação financeira do país, parece ser demasiado claro para qualquer cidadão comum enquanto o(s) governo(s) insiste(m) em fazer vista grossa sobre o assunto.
Ofende-se o sr. Ministro das Finanças quando alguém insiste em apontar a realidade do país equiparando-a à da Grécia. Mais não faz do que tentar camuflar aquilo que parece inevitável: o colapso da economia lusa.
Ao invés de  apostar na revitalização da economia interna, que passa forçosamente pelo aumento de produtividade das empresas,  pela sua competitividade e consolidação no mercado internacional  e por uma substancial redução da despesa pública, o governo dá sucessivos tiros nos pés pensando que a situação caótica do país se resolve com empréstimos em cima de empréstimos.
Ora, não será difícil a qualquer leigo perceber que os empréstimos têm de ser pagos - e com juros - sendo que, para um país que há mais de 30 anos consome muito mais do que produz, o mesmo é dizer que jamais nos livraremos desta situação de sufoco financeiro, resultante desta verdadeira bola de neve. É óbvio!
Resta-nos, à semelhança de um qualquer moribundo, esperar o fim, tanto mais que, contas feitas e segundo o JN do dia, a moderna política dita social, faz com que quem não trabalha ganhe mais do que quem cumpre 8 ou mais horas de labor. Assim sendo, a conclusão parece óbvia: burro é quem trabalha, sobretudo aqueles que ganham o ordenado mínimo ou menos ainda.
A ideia subjacente a estas políticas parece ser mesmo a de que se o trabalho dá saúde, que trabalhem os doentes.
Pobre país... este que outrora foi de gente arrojada, e conquistadora e que ora se ajoelha perante quem lhes desfere golpes mortais.

quinta-feira, abril 15, 2010

HAJA DECORO, pelo menos!

Esta publicação foi mandada comprar há dias pela EB 2-3 P. Donaciano Abreu Freire,  de Estarreja.
As ilustres autoras são Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.
Assistimos, de facto, a mais um acto que faz jus a esta política desavergonhada do "safe-se quem puder".
Dir-me-ão que a senhora ministra nada terá a ver com a exigência da escolha do seu livro para o 3º período do 6º ano de escolaridade, e poderei  conceder-lhe aí o benefício da dúvida; no entanto, parece-me que se a senhora preza a honestidade e seriedade  no desempenho das suas funções, jamais deveria deixar que tal acontecesse, até porque autores do género ainda há por aí alguns, que provavelmente, precisam também de vender as suas obras para sobreviver.
Não é por nada, mas fica-se com a ideia de que há aqui um aproveitamento próprio, quiçá ilegal, que lhe advém do exercício do cargo...
Como diz o ditado, à mulher de César não basta ser, tem também de parecer...

domingo, abril 11, 2010

A ESCOLHA DA SEMANA

O aparecimento de um novo Blog no concelho, concretamente em Avanca, constitui a Escolha desta Semana.
Sendo ainda um  mero projecto de intenções, aguarda-se a sua consolidação.

sexta-feira, abril 09, 2010

HUMOR OU REALIDADE

"Em 1969, o indiano Shiv Pappu Charan fez uma promessa à namorada: assim que ele conseguisse formar-se numa escola para adultos já poderiam casar-se. Na última semana, aos 74 anos, foi ver as pautas das notas e descobriu que tinha chumbado pela 38ª vez!
Apelidado já de "o pior aluno do mundo", o melhor que conseguiu, de um a dez, foi um 3,4 a hindu... E a matemática já conseguiu chegar a 0,5!!! "Vou estudar até passar de ano, pois a minha motivação é poder casar-me", diz o voluntarioso estudante. E acrescenta esta atracção turística: "Quando vou fazer uma prova, as pessoas vêm de vários lugares da Índia para me ver", conta."

Eu tenho pena do homem e vou mandar-lhe a seguinte carta através do jornal que relata esta história:

Exmo sr. Shiv Pappu Charan,

Fiquei muito comovido com a sua história e a sua persistência. Decidi fazer uma colecta para que possa estudar em Portugal. E esqueça isso do curso básico para adultos, porque você merece um curso superior. De resto, já inscrevi uma vaga em seu nome na Universidade Independente (se reabrir!), reputadíssima a nível internacional e com um excelente leque de professores. Se não reabrir temos também as Novas Oportunidades. Vai ver que não só casa como ainda chega a administrador de um banco ou mesmo a primeiro-ministro...
 
Um português qualquer