Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

quinta-feira, setembro 03, 2009

Pois

A democracia permite, de facto, que cada cidadão exprima o seu pensamento das mais diversas formas. Há quem o saiba fazer com correcção, educação e frontalidade, e há os que desconhecem por completo essa forma civilizada de o fazer, e que mais não fazem do que partir para o insulto gratuito e para a mentira, traduzidos em discursos agressivos e venenosos. Os primeiros, mesmo que resguardados pelo anonimato, merecem-me, obviamente, admiração e respeito ainda que com eles possa estar em desacordo; os outros o desprezo em absoluto.
Farei aqui e agora uma excepção, que também serve para confirmar a regra, referindo-me aos comentários deixados no Terra Nostra acerca [deste] post.
Não me referirei ao conteúdo da prosa do José Matos, pois há coisas que são por demais evidentes, que só não vê mesmo quem não quer - quem o lê saberá fazer a devida análise -nem o farei em relação aos autores dos referidos comentários que, como já é habitual nos escritos do género, não têm sequer uma coisa que os homens, ainda que muito humildes ou até iletrados sabem ter: coragem para assumir o que dizem. Faço-o apenas e tão só, ao conteúdo dos mesmos, porque se trata de uma boa oportunidade que me é dada de esclarecer algumas mentes que parecem um pouco perturbadas ou, se quisermos ser claros, desesperadas.
"Pois"é pena que estes "discursos" que, pelos vistos, personalizam, escondem e representam um pequeno grupo de gente com ideias e projectos de grande utilidade para a freguesia, que sabe o que quer e que por isso provavelmente tem lutado, não tenha um rosto para se afirmar como alternativa aqueles que tresloucadamente vão a caminho do suicídio.
Pois... fico seriamente sensibilizado com a preocupação por eles demonstrada para com o meu futuro político.
E, nesse sentido, quero tranquilizar os "Velhos do Restelo" e lembrá-los do seguinte:
- Estou, de facto, há 16 anos ligado ao poder local: oito como secretário do órgão executivo, e oito na Assembleia de Freguesia.
- Até ao momento presente não efectuei, publicamente, qualquer crítica à actuação da Junta de Freguesia liderada pelo Sr. Simões Pinto, com quem continuam a existir, pelo menos pela minha parte, as melhores relações pessoais e institucionais. Nem o fiz no que diz respeito aos elementos das outras duas listas, pelo que a referência a tal é uma tentativa manhosa mas infrutífera.
- Centrei, conjuntamente com a Junta e Assembleia de Freguesia, as minhas atenções neste segundo mandato, na falta de obras realizadas em Canelas, tendo por base os Planos de Actividades da Câmara Municipal. Pois...está documentado nas actas da Assembleia de Freguesia, para que se saiba.
- Fui, e fomos, condescendentes com o primeiro mandato do actual Presidente da Câmara porque - e é prática corrente - sabemos que, quando se chega, a primeira pretensão é "arrumar a casa" ao nosso jeito; depois há todo um conjunto de prioridades que carecem da melhor atenção. Mesmo assim, entendemos que se foi fazendo, não o desejável mas o que foi sendo possível. E daí que não tive grande dificuldade em voltar a integrar uma lista que se identificava e contava com o apoio do mesmo líder camarário. Uma lista para a qual fui convidado pelo Sr. Simões Pinto e não por qualquer representante do PSD e na qual estive como independente. Parece que aí ninguém se incomodou com isso...
- Entendo que os segundos mandatos são a oportunidade de mostrar o que se vale. E, para que não restem dúvidas, aqui fica um pequeno "filme" dos últimos 4 anos:

(...)RVRIA: Estamos a terminar mais um mandato. Qual é o balanço que faz de toda a sua actividade?

SP: Nas obras da freguesia, da responsabilidade da Junta, estou convencido que está a correr bem, têm sido feitas algumas coisas. Na parte das obras da Câmara já não posso dizer o mesmo. As obras para Canelas são sempre muito poucas, tarde e a más horas, e não posso estar satisfeito com as obras que a autarquia tem feito. Canelas tem sido desprezada. O sector sul, Canelas e Fermelã, tem sido desprezado e eu já fiz um alerta "à navegação".(...)

JE: Volto a colocar-lhe a mesma questão. Qual é a grande obra projectada para Canelas?

SP: Nenhuma.

JE: Como são as relações entre a Junta de Canelas e a Câmara Municipal?

SP: As relações em si têm sido boas. Mas estou desiludido com as obras que têm sido projectadas para a freguesia. Por isso não estou muito satisfeito com a actuação da Câmara.

RVRIA: As obras que já enumerou são as que, na sua opinião, ficaram por fazer?

SP: Nos últimos três anos não se fizeram quase obras. Em 2006 andou-se a pagar as obras de 2005, altura de campanha eleitoral. Em ano de eleições há-de fazer-se mais alguma coisa. Os meus objectivos, desde que assumi os comandos da freguesia, eram dois: a construção de sede da Junta e a construção do cemitério. Cumpri os dois. O cemitério ainda não está na totalidade, mas já lançamos o concurso para fazer mais um talhão e espero que este mês se comece a construção.

(Excertos da entrevista do Sr.Presidente da Junta de Freguesia de Canelas à RVR e JE, em 30 de Abril de 2009).

Onde se lê "SP", de Simões Pinto, poderia ler-se "CR", de Camilo Rego, pois a sintonia é total, a este respeito.

- DePois é importante perceber as funções inerentes aos órgãos executivos e deliberativos, para que se não digam parvoíces.

Poderia ficar-me por aqui, mas falta ainda agradecer a preocupação com a carreira política, com a derrota eleitoral, com o suicídio e com o vira-casacas.

- A obsessão pela vitória não está do meu lado. Encarei este passo ponderadamente, com seriedade, naturalidade e coerência para com o que vim defendendo publicamente para a freguesia, em nome dela e não em nome de qualquer partido ou carreira política; predispus-me a elaborar um programa, que tenho como importante para o futuro de Canelas e da sua população - tal como outros o farão - e que submeterei à decisão eleitoral em 11 de Outubro; é apenas uma oportunidade de escolha que se não repetirá no futuro, pelo que, ao contrário do que se pretende insinuar, tem por base a análise de todos os cenários possíveis. Obviamente que, aqui chegados, faremos uso da estratégia que temos delineada para vencer, mas sem nunca descurar o respeito e lealdade por todos os "adversários".

- Serei, de facto, um vira-casacas, se isso representar o inconformismo; o querer mais para esta freguesia; a coragem de agir de acordo com o que digo e defendo; o dar a cara por aquilo que penso; o apresentar uma proposta que rompe com o passado; a escolha de um grupo que se sente interessado e imbuído de uma dinâmica capaz de ir mais longe.

Sim, serei orgulhosamente, um vira-casacas, se daqui a 4 anos tiver desenvolvido o meu Programa para Canelas, e para o que conto com o apoio, dedicação e confiança do Fernando Mendonça. Por enquanto, sou e serei um cidadão preocupado com o futuro da minha freguesia e com o desprezo que a mesma tem tido ultimamente por parte da CME.

- Continuo hoje, como ontem e como há 3 anos, a querer a mesma coisa e a pensar e a agir de acordo com o que pretendo. O que mudou foi apenas a fonte do apoio necessário, uma vez que a existente secou há pelo menos 4 anos, mesmo que constantemente abanada. Ficar sentado outros 4 à espera que a água volte a jorrar é, no mínimo, falta de responsabilidade e Canelas não é merecedora de tal atitude.

Quanto ao contrato de compra e venda, é precisamente o facto de não me ter vendido ao PSD, que incomoda. Há gente habituada a comprar tudo e todos e sente-se mal quando não fecha um negócio. E podem estar certos todos os Canelenses (atentos, desatentos, espertos ou que se armam em tal, os que sabem e os que hão-de saber) que, da mesma forma que não me vendi ao PSD, também não me venderei ao PS. E o PS sabe disso de antemão. Já cansa dizer que o que me liga ao PS é o apoio que tenho garantido do Fernando para realizar o Programa que desejo para a minha terra. E é aqui que reside a grande diferença que incomoda: é que, quer o Programa ,quer a equipa, foram da nossa inteira responsabilidade, com base nessa total liberdade e confiança que são os pilares deste Projecto que visa, apenas e tão só, mudar de caminho.

Mas, se há alguém com insónias por esse motivo, que procure adormecer a pensar que eu sou o líder concelhio ou distrital do PS. Nem me aquece nem me arrefece o que outros possam pensar a esse respeito. O que para mim conta, é registar que algumas pessoas de quem necessariamente me tenho aproximado ultimamente, são substancialmente diferentes quer como homens, quer pela dinâmica que demonstram, quer pela garantia e confiança que transmitem.

- Sei efectivamente qual é o melhor caminho para a minha terra, porque a areia que ultimamente conspurca os ares de Canelas não me entra nos olhos...

Pois termino dizendo que poderão tranquilizar-se os preocupados porque se ganhar, festejarei daqui a 4 anos, se tiver condições para desenvolver o meu Programa; se perder, a vida também é feita de derrotas e nem isso me fará ser diferente. Procurarei contribuir no próximo mandato, para que o Futuro desta terra possa ser substancialmente diferente, seja na Junta ou na Assembleia de Freguesia, e na certeza de que os abutres que vagueiam por aí, acabarão por se devorar uns aos outros, ávidos que estão de sangue.




Sem comentários: