Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

terça-feira, maio 05, 2009

CRISE, MAS QUAL CRISE?

Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas...
Guerra Junqueiro, em 1886.

Em Portugal, os deputados ganham 3708 euros de salário-base, o que corresponde a 50% do vencimento do presidente da República. Os subsídios de férias e de Natal são pagos em Junho e em Novembro e têm direito a 10% do salário para despesas de representação. Como também lhes são pagos abonos de transporte entre a residência e São Bento uma vez por semana, e por cada deslocação semanal ao círculo de eleição, um deputado do Porto, por exemplo, pode receber mais dois mil euros, além do ordenado.
São casas, carros, motoristas, telemóveis, subvenções, abonos, pensões vitalícias, viagens, ajudas de custo, etc,.
O escândalo continua [aqui].

1 comentário:

Anónimo disse...

Caro Camilo,

Tem razão, são benesses a mais. Contudo, o que me deixa triste é o raciocinio contrário: se os deputados realmente valessem o ordenado recebido, este país seria uma grande potência...

M