Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sábado, abril 18, 2009

NOTAS DE FIM DE SEMANA

1 - Esta tendência de enfiar tudo o que se assume como obra média/grande dentro da "cidade" parece-me hoje completamente desapropriada, mas enfim, são opções que, embora delas discordando, democraticamente respeito.
O problema é quando se lá quer meter o que se não deve. Vem isto a propósito do que aqui escrevi em 22 de Setembro de 2008 sobre a sugestão/proposta, então do PS local, de enfiar um hospital no Centro de Saúde de Estarreja.

"Ali, na Teixugueira, encostado ao quartel dos bombeiros, volta e meia as sirenes a tocar, quando nem sequer é permitido buzinar junto a estas unidades de saúde e, mais preocupante ainda, nas imediações do complexo químico?!...
Alguém explique aos autores da proposta como é que se evacua, em segurança, um hospital implantado a apenas umas dezenas de metros do complexo químico, no caso de uma qualquer situação de emergência, que todos sabemos poder vir a acontecer.
Aplauda-se a ideia de uma nova unidade, mas lembre-se que o concelho não é só Estarreja, e que há locais mais aprazíveis, tranquilos e bonitos para a sua localização".
in Sem Rumo, 22/09/2008

Pois bem, se naquela altura estas linhas pretendiam apenas chamar a atenção para o aspecto da segurança, hoje, ao voltar a escrevê-las, revelam já muita preocupação. Só um acto de loucura ou de irresponsabilidade pode levar a que se disponibilize ali o terreno para o novo Hospital.
É certo que o Complexo Químico não tem hoje o fulgor de outros tempos, mas a periculosidade e o factor de risco não parecem ter diminuído por forma a que toda aquela zona possa ser hoje considerada um oásis.
Não haverá neste concelho alguém - que seja levado a sério - que faça ver isso mesmo, enquanto é tempo?
Estava por aqui a pensar como será um simulacro de acidente químico, envolvendo doentes em camas, frascos de soro pendurados, ventiladores, etc., porque imaginar tudo isso num cenário real seria, no minimo, dantesco.
2 - Fez bem a Câmara Municipal de Estarreja em pedir a suspensão do processo de instalação da bacia de retenção em Canelas ou Fermelã.
É que, podemos não ter até muita (in)formação , mas não será necessário tirar qualquer curso para saber o que não queremos na nossa terra.
3 - A problemática das custas a pagar pelo processo de Entre-os-Rios é bem o espelho do que se tornou a (in)justiça neste país. A notícia é digna de figurar nos anais do que mais ridículo e miserável seja possível encontrar.
Então aquela gente, não bastasse terem ficado com as famílias destroçadas, estão na eminência de ter de pagar 57 mil euros por um processo que deveria ter sido o Estado a instaurar?
Impunha-se o apuramento da verdade, tanto mais que, na altura, apareceram relatórios e fotografias atestando o estado de degradação dos pilares da ponte. Era ao Estado que competia, de imediato, apurar a verdade e a responsabilidade pelo sucedido. Mas, como sempre acontece nesta gloriosa pátria, quando há "peixe grande" envolvido, a malha da rede é enorme...
O filme é sempre o mesmo!
E, como se isso não bastasse, ainda temos de ouvir o Sr. presidente desta espécie de república a dizer que não se pronuncia acerca de uma matéria que é da responsabilidade do governo. Não se pronuncia mas devia fazê-lo, ou estará já a jogar para o segundo mandato?

2 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem!!!!

Pedrasnuas disse...

PASSO POR CÁ...SÓ QUE NÃO DEIXO COMENTÁRIO PORQUE TENS AQUI OPINIÕES QUE DIZEM RESPEITO A SITUAÇÕES E FACTOS QUE ACONTECEM NO CONTINENTE E COMO SOU MADEIRENSE DESCONHEÇO ESTAS REALIDADES.
SÓ QUERIA ESCLARECER ESTE PONTO.

ABRAÇO SENTIDO