Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sábado, setembro 20, 2008

BRINCADEIRA PEGADA

Segundo a TSF, os municípios portugueses criaram uma nova taxa para os serviços de água, a fim de substituir a cobrança do aluguer dos contadores de água, que foi proibida por lei.
Não há forma de classificar o que se passa neste país, onde a política se transformou numa maquiavélica arte de iludir e roubar o povo.
Percebe-se bem porquê. Se olharmos para o tecido político português, raramente encontraremos licenciados em economia ou ciências políticas.
Na sua maioria, os políticos de hoje são advogados. Chegaram à política pescados pelas concelhias dos partidos que, em muitos casos foram a rampa de lançamento para a sua integração em elencos camarários ou municipais, daí sendo catapultados para o parlamento. Daí ao governo vai apenas um pequeno passo. A cobertura partidária encarrega-se de tudo isto, obviamente. Habituados a bem falar, fazem da política um exercício jurídico e, não raras vezes, com ilícitos proveitos próprios. Bastaria relembrar aqui os inúmeros casos de corrupção, sacos azuis e outras formas de surripiar milhares de euros ao erário público. Entretanto, sobrecarregam o povo com taxas, impostos e aumentos.
A falta de responsabilidade e seriedade no exercício dos cargos políticos, leva ao desprezo pelo cidadão comum. Também aqui o Estado tem demonstrado uma total incompetência naquela que deveria ser uma das suas primeiras funções: saber redistribuir o rendimento produzido no país, diminuindo as assimetrias e reduzindo a diferença entre os mais ricos e os mais pobres.
É também sabido que, quando é necessário reduzir despesas, o Estado volta-se sempre para os mais fracos, aqueles que menos força têm, enquanto cede com a maior das facilidades às pretensões dos patrões dos grandes grupos económicos. Esses dominam efectivamente a economia do país a seu belo prazer e, sempre que entendem necessário, batem o pé às medidas do governo.
Resta esperar a ver se esta nova taxa tem legitimidade para existir e, se tiver, pergunta-se então qual o resultado prático da devolução da caução relativa ao aluguer dos contadores.
E, já agora, seria bom para todos os contribuintes que a respeito da tal devolução pelas Câmaras Municipais, fosse dada publicidade bastante e não envergonhada... É que, como se sabe, nem toda a gente vai com frequência às Câmaras e às Juntas para poder ler os Editais respectivos. Talvez 5 segundos de publicidade na Tv resultasse melhor... a não ser que o objectivo seja mesmo o de não divulgar muito.
Parece-me, aliás que nem seria necessário isso. Bastaria que fosse feito os devidos acertos nas facturas da água e o consumidor contribuinte nem teria necessidade de se deslocar às Câmaras Municipais para lhe ser devolvido o que é seu.
Mas esta é a triste realidade de um país, que nem a nível local protege o povo.

Sem comentários: