Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, agosto 18, 2008

PORQUE FALHAM OS ATLETAS?

Tenho acompanhado os Jogos Olímpicos mais pelo que se escreve do que pelas imagens televisivas e, tal como em muitos outros momentos, há gente que se julga no direito de ser implacável para com os que falham porque entendem que competir é ganhar e outros que procuram compreender porque se falha neste elevado nível de exigência. Parece-me óbvio que terá de haver sempre derrotados para que possam haver vencedores.
Para mim, chegar ali onde só estão os melhores, é já por si, uma vitória. Falhar naquele momento solitário onde a vitória e a derrota se separam por centésimas de segundo ou por um único milímetro, ali, onde o mundo é tão pequeno e tão grande, só acontece porque se lá está.
A espectacularidade dos movimentos, o esforço dos corpos cuja resistência é elevada até próximo do seu limite, o suor, as lágrimas, a euforia e a amargura pelo objectivo falhado, muitas vezes espelhados em imagens fascinantes, são a outra face da competição, aquela que no momento da derrota, muitos preferem esquecer, como se não existisse.
Não creio que algum dos atletas ali presentes, se orgulhe ou sequer fique indiferente pelo facto de não conseguir ser o melhor dos melhores. Sim, porque ali estão os melhores.
O insuportável na derrota é a falta de humildade de a assumir como própriaa, procurando justificá-la com múltiplos factores que em nada contribuiram para que acontecesse. Assumi-la é um acto digno, porque os atletas falham porque são homens e mulheres. Nada mais.
Pode e deve questionar-se se vale a pena o Estado investir 14 milhões de Euros num programa Olímpico, sabendo-se que haveria apenas de retorno aquela tão característica alimentação do ego lusitano por ver subir a bandeira nacional uma meia dúzia de vezes; não pode, nem deve, desvalorizar-se um atleta porque não conseguiu corresponder às expectativas, porque a este nível, não poderá haver nunca certezas. Investir esses 14 milhões na participação portuguesa nos Jogos Olímpicos é uma perfeita e injustificada loucura, não pelo resultado final mas pelo que representa por si só.
E, basta recuar apenas quatro anos para dar de caras com outro destes perigosos malabarismos económicos. Mas o pior é que já há por aí quem se queira "atirar" à organização de um qualquer campeonato Mundial de Futebol ...
Efectivamente, o circo não pára.

2 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Compreendo e penso da mesma maneira.
Os atletas de "sofá" são muitos, os critícos que nunca foram capazes de "mostrar o que valem" muitos também, a falta de humildade de "atletas" "poucos são humildes, etc..
Portugal é um País pobre que se habiyuou a viver como não pode, e quando falam na pobresa dos portugueses, eles não fazem mais que seguir o exemplo do próprio País.
Trouxemos do passado a mania das grandezas e nunca mais nos habituamos a viver como somos.
Cpts

Fermelanidades disse...

Estimado amigo,

daqui a 4 anos espero que o investimento seja feito em éguas novas, daquelas que não se assustam com qualquer placard publicitário. É que até as éguas utilizadas por nós nos Jogos representam na perfeição o bom espirito tuga. Ah gandas animais!!!!!!!!

Abraço