Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sexta-feira, junho 20, 2008

VANDALISMO

As fotos documentam parte do vandalismo de que foi alvo o apeadeiro da freguesia. O bando de energúmenos e mentecaptos que, a coberto pela brandura da lei, vai vilipendiando o património público decidiu, de uma assentada, levar os bancos, parte das vedações e as placas de fundição existentes nos canteiros das árvores. Restou apenas a da foto acima.
Há duas ou três semanas foi um dos elevadores que serviu de sanitários.
Será, provavelmente este, um sinal do progresso e da modernidade dos tempos de hoje. Dir-me-ão que sempre aconteceram actos semelhantes. Talvez, mas quando os autores eram identificados, talvez ficassem sem vontade de voltar a repetir tais actos, o que não acontece nos dias de hoje.
Mesmo que apanhados em flagrante, os autores são identificados e mandados para casa e, se um qualquer cidadão "se passar" ao ver tal destruição e resolver aquecer as costas a tais bandidos. corre o risco de passar uns dias à sombra e de ter de pagar ainda uma choruda indemnização.
Assim sendo, resta esperar pela continuação que não deverá tardar.

2 comentários:

Fermelanidades disse...

Estimado amigo,

boa tarde mais uma vez. Confesso que já estava a ficar admirado por só agora se terem registado tais actos no "nosso" apeadeiro. Para quem não sabe, as mesas de madeira que faziam parte do percurso do bioria tambem voaram por estes dias. Não as que ficam á entrada do percurso mas as que se situam lá mais para baixo. Os pés foram serrados e toda a estrutura foi comodamente instalada num atrelado para fins que se desconhecem. Supostamente os criminosos até foram os mesmos. Tudo serve hoje em dia para rentabilizar, vide os placares de sinalização rodoviários, o cobre dos cabos eléctricos e as redes de proteção das auto-estradas. É o que temos e resta-nos esperar nunca nos cruzarmos com semelhantes hominideos em flagrante delito porque corremos o risco de ir desta para melhor.

Abraço

noticiasd'aldeia disse...

O progresso, a modernidade, têm destas coisas. Um país entregue a filhos-da-puta.
Abraço