Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

sexta-feira, junho 20, 2008

O REGRESSO À NORMALIDADE

E... pronto! Tudo parece voltar à normalidade.
Por aqui, o governo decide subir o preço de 121 medicamentos. Nada de espantar, claro, não estivessem estes no lote dos mais vendidos. Em qualquer lado, um produto baixa o seu custo de produção, na medida em que mais vender. Assim sendo, a única justificação de jeito que se encontra para mais esta fabulosa medida, é o aumento da margem de lucro por parte das empresas que os fabricam. Que importa se o povo pode ou não pagar?

Por Bruxelas, os engulhos pelo resultado do referendo na Irlanda, são mais que evidentes. Parece que ninguém sabe o que fazer porque a aprovação do Tratado de Lisboa era tida como certa e, como tal, ninguém acautelou outra saída. Afinal, conseguida a "caldeirada" com 26 países, não estaria nas cogitações de ninguém que um pequeno país como a Irlanda, pudesse provocar esta tremenda dor de cabeça.
A imagem que tem passado desde o "Não" da Irlanda, é de uma desorientação constrangedora. Para uns, não se justifica a continuação dos processos de ratificação enquanto outros os defendem com "unhas e dentes", numa tentativa de ganhar tempo para estudar a forma de dar a volta à situação.
Uma coisa é certa: não creio que o Tratado possa entrar em vigor, a não ser que esteja na forja alguma aldrabice política.

Por terras da Suíça, os mareantes lusos terminaram a sua epopeia. Mais uma vez, sem honra nem glória.
Uma vez mais não assisti à contenda entre os tanques germanicos e a fina cavalaria lusa mas o desfecho parecia inevitável.
Nestas coisas, há uma série de anos que nos promovemos a nós próprios como favoritos dos favoritos. Faz bem ao ego, claro!
Investimos na auto-promoção enquanto outros investem na preparação. Espalhamos pelos quatro cantos que temos os melhores do mundo e andamos com eles ao colo. Compramos bandeiras e bebemos uns copos à saúde dos nossos dignos embaixadores. Metemos um dia ou umas horas de férias porque é impensável perder um jogo desta natureza.
E no fim, como sempre, a montanha pariu um rato.
A imagem do seleccionador que tem passado exaustivamente nos canais de televisão desde o fim do jogo, não me parece muito adequada para quem tantas expectativas criou. Já todos assistimos a entrevistas após a derrota - e derrotas com muito menor significado - que demonstram uma solidariedade notável e um sentido de responsabilidade que impressionam. Não foi o caso, a meu ver, do treinador português que, muito provavelmente estará ansioso por cheirar as libras esterlinas das terras de Sua Majestade. Afinal eles andam todos ao mesmo e ainda há quem não perceba isso!
Após cinco anos e meio em terras lusas, pago principescamente, o que deixou foi a arte de iludir o povo de que chegar aos quartos-de-final ou final de um campeonato da europa é tão ou mais importante que ganhar a dita competição.
Continuamos a ser candidatos a candidatos e, por isso, pagamos milhões a seleccionadores, publicidade e afins.

Efectivamente, tudo regressa à normalidade...

2 comentários:

Fermelanidades disse...

Estimado Camilo, estava para escrever algo parecido com o que o estimado companheiro acabou de redigir. Por uma questão de respeito blogosférico, irei ter de escrever sobre outra coisa qualquer. De facto, é o regresso à normalidade. Acho que este é aquele preciso momento em que as pessoas saiem do transe colectivo e voltam a olhar para dentro da suas vidas e reparam que estão piores agora do que há 1 mês ATRÁS. Nem tudo é mau, no entanto. Com a eliminação, poupam-se 18400 euros diários só em ordenados de jogadores. Penso até que os jogadores foram solidários com o povo português e com os ultimos acontecimentos e decidiram meter greve ao jogo. Tudo está bem quando acaba bem. Afinal, o futebol é realmente o reflexo do país. Vitórias morais é connosco.

Abraço

CR disse...

Caro Fermelanidades:
O meu pedido de desculpas pelo adiantamento, mas o meu amigo está à vontade para voltar ao tema. Até porque hoje será um dia ainda bastante ensonado (até o nevoeiro matinal ajudou a criar a atmosfera ideal)e a malta vai demorar a acordar. Será ainda um dia de Telejornais cheios de nada. Enfim! A normalidade.
Um abraço