Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

terça-feira, fevereiro 12, 2008

PORTA ENCOSTADA

Há algum tempo aqui escrevia que, no seguimento das políticas em vigor e a par do encerramento da escola, um destes dias estaríamos igualmente a falar do fecho do Posto Médico.
Há já algum tempo que a médica que aqui prestava serviço deixou de poder vir, ao que tudo indica devido a doença grave. Os doentes, segundo o aviso colado na porta do edifício, devem dirigir-se ao Centro de Saúde, nos dias e horários ali definidos. Sabe-se, no entanto, que no Centro de Saúde há algumas dezenas de pesooas que de repente se viram privados do seu médico de família, sujeitando-se presentemente à boa compreensão dos outros profissionais que ali trabalham, a fim de conseguirem uma consulta... no fim do atendimento dos respectivos doentes. Agora juntam-se-lhes os utentes do Posto Médico de Canelas.
É também sabido que o tempo médio de espera por uma consulta no Centro de Saúde, raramente era inferior a um mês, antes da interrupção do serviço da unidade de Canelas.
O facto de não se proceder à substituição da médica que, tendo em conta os rumores que circulam, poderá mesmo não voltar, é deveras preocupante e poderá mesmo anunciar o que há algum tempo se teme.
O que temos certo, é o aumento das dificuldades com que a população da freguesia se depara, e que lhe vai diminuindo drasticamente a pouca qualidade de vida que ainda lhe resta. O facto de não ter aqui à mão quem passe uma receita, preencha uma credencial ou efectue um primeiro diagnóstico é, sobretudo para os mais idosos, aqueles que têm menos mobilidade, um verdadeiro drama.
Não se ouve falar nisto por parte dos responsáveis políticos, pelo que não se sabe se algo está a ser feito no sentido de inverter esta situação.
E pergunta-se, com toda a legitimidade, que benefícios tiram os contribuintes dos impostos que pagam, nomeadamente para a Segurança Social, cada vez que estão mais afastados dos serviços de atendimento clínico e outros.
Nasce-se nas estradas, morre-se nos corredores e desespera-se por uma consulta ou exame que tardam meses, ou por uma operação que demora anos a acontecer.
Enquanto isto... o verdadeiro filme passa [Aqui].

4 comentários:

Poeta de Fermelã disse...

Como diria um deputado muito conhecido apos a declaração do seu lider:

"APOIADO!"

noticiasd'aldeia disse...

Não sabemos se o poder local já tomou alguma iniciativa. Devê-lo-ia fazer ou mesmo, já o deveria ter feito. É obrigação do senhor António Simões procurar junto da autarquia e estes em conjunto, reclamarem a imediata resolução da situação junto das entidades competentes.
Agora, se bem conheço as práticas, competências e interesse do poder pelos munícipes, caso a médica não volte, poderemos considerar o posto encerrado. O caso do fecho das urgências no HVS, é bem elucidativo.
Cpts.

Coronel Tapioca disse...

Pode ser que seja desta vez que as pessoas se convençam de que se ficarem em casa muito quietinhas ninguém vai resolver o seu problema. Também já é tempo de deixarem que lhes c... alegremente em cima e façam finalmente barulho. E não sou eu que até tenho seguro de saúde e que estou servido que me vou mexer...

Anónimo disse...

Olá Camilo

Penso que o problema deve ser colocado directamente à direcção do Centro de Saúde de Estarreja.

Sei que não está fácil arranjar um médico substituto, mas pouco mais. Vou também fazer chegar o problema à comissão municipal de saúde para ver se possuem alguma informação adicional.

Um abraço