Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

domingo, dezembro 23, 2007

O Natal e os natais

Apenas a dois pequenos passos do Natal, dou comigo a pensar no que celebram aqueles para quem o Natal não existe. Sim, porque quando celebramos o natal de alguém - aquilo a que nos habituámos a designar por festa de aniversário - fazemo-lo porque estimamos a pessoa em questão e queremos lembrar o seu nascimento, partilhando essa alegria com familiares e amigos que se associem à festa.
Afinal, parece não existir ninguém que não se refira ao Natal entendendo-o como uma data especial, mesmo aqueles que o não relacionam com o nascimento de Jesus Cristo. Mesmo esses aproveitam o feriado, reúnem a família, trocam prendas, etc. E é aqui que reside o contra-censo: todos queremos organizar e viver a nossa festa de Natal sem nos lembrarmos do verdadeiro motivo para que ela exista. É por isso que entendo que a maior parte das vezes se deveria escrever "natal" em vez de "Natal". Uma simples letra faz aqui toda a diferença, porque o Natal é uma coisa e os natais são outra. O mundo encontrou assim uma forma de banalizar o Natal, bastando-lhe para isso mudar apenas uma letra.
Penso ser pacífico que uma festa de aniversário de uma pessoa de família ou de um amigo, só faz sentido se toda ela se desenrolar à sua volta, em sua homenagem e na data respectiva.
O Natal que devemos celebrar a 25 de Dezembro, está até já desajustado no tempo. Começa em Outubro porque a ânsia de vender, vender, vender obriga a que assim seja.
Mas o Natal é simplicidade, tal como era simples o presépio de há dois mil anos; é alegria, pela ligação visível entre Deus e os homens; é troca de presentes, tal como o fizeram os reis do Oriente; mas é sobretudo a aceitação de que Jesus nasceu e é por isso que devemos fazer festa.

Bom Natal para todos.

Sem comentários: