Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

EGAS MONIZ

Hoje, 10 de Dezembro, no Canal História - infelizmente só acessível na tv por cabo - passará um documentário sobre Egas Moniz, às 15h00 e com repetição às 23h00.
António Caetano de Abreu Freire Egas Moniz, nasceu no concelho de Estarreja, na freguesia de Avanca, em 29 de Novembro de 1874.Formou-se em Medicina pela Universidade de Coimbra em 1898 e foi nomeado seu professor em 1902. Frequentou as clínicas neurológicas de Paris e Bordéus. Em 1911 regressa a Portugal para leccionar a cadeira de Neurologia na Universidade de Lisboa. Em 1903 deixa-se seduzir pela política e em 1917 chega a ministro dos Negócios Estrangeiros.
Executou a primeira angiografia cerebral humana em 1927 e em 1935 concebeu e executou uma intervenção cirúrgica cerebral, a leucotomia pré-frontal, em que eram cortadas as ligações do lobo frontal com o restante cérebro.
Por esse facto, em 1949, foi-lhe atribuído o Prémio Nobel de Medicina, partilhado com W. R. Hess.
O sucesso daquela operação foi rapidamente reconhecido e aceite, de tal forma que passou a ser praticada nas principais clínicas neurocirúrgicas e psiquiátricas do mundo, tendo sido largamente utilizada no tratamento de psicoses graves, proporcionando um vasto conhecimento anatomofisiológico do cérebro e a base para o desenvolvimento de outros métodos cirúrgicos. Como escritor, foi memorialista e estudioso de vultos notáveis nos sectores das letras e das artes plásticas.
Da sua extensa obra destacam-se:

Tese de Doutoramento, A Vida Sexual - Fisiologia, apresentada em 1901. Provas de concurso para lente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, em 1902 com o trabalho A Vida Sexual - Patologia. Estes dois últimos trabalhos vieram mais tarde a ser reunidos com modificações na sua obra A Vida Sexual (Fisiologia e Patologia), editada pela primeira vez em 1913 e que se tornou uma obra polémica e muito procurada, com 19 edições até 1933. Durante o governo de Salazar (1889-1970), a sua aquisição só podia ser feita com receita médica. A Neurologia na Guerra, Lisboa, Livraria Ferreira, 1917. Clínica Neurológia, Lisboa, Faculdade de Medicina, 1925. O Padre Faria na História do Hipnotismo, Lisboa, Faculdade de Medicina, 1925. Diagnostic des Tumeurs Cérébrales et Épreuve de l'Encéphalographie Arthérielle, Paris, Masson&Cie, 1931. L'Angiographie Cérébrale. Sea Applications et Résultats en Anatomie, Physiologie et Clinique, Paris, Masson&cie., 1934. Tentatives Opératoires dans le Traitement de Certaines Psychoses, Paris, Masson&Cie., 1936. La Leucotomie Préfrontal. Traitement Chirurgical de Certaines Psychoses, Torino, Baravalle e Falconieri, 1937. Clínica delle Angiografia Cerebrale, Torino, Iter, 1938. Die Cerebrale Arteriographie und Phlebographie, Berlin, Julius Springer, 1940. Trombosis Y Otras Obstrucciones de las Carotidas, Barcelona, Salvat, 1941.
Eis pois, uma boa oportunidade para conhecer o homem, o médico, o neurologista, o político, o investigador, o professor, o escritor e o primeiro português a ser galardoado com o Prémio Nobel.

1 comentário:

Narciso Cruz disse...

Aqui está bem exemplificado como um blog pessoal pode ser também um verdadeiro serviço público...Não fosse este post e ter-me-ia passado ao lado o Professor Doutor Egas Moniz no Canal História, o que eu lamentaria toda a vida se mais tarde viesse a saber, mesmo tendo em conta que o documentário na sua globalidade não vai além daquilo que é do conhecimento geral. Talvez tenha faltado dizer claramente que, porque o Prof. Egas Moniz era declaradamente opositor político do Estado Novo, o regime nunca terá relevado condignamente a atribuição do Prémio Nobel, permitindo-se mesmo uma certa omissão da importância da descoberta e do reconhecimento científico mundial.