Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

quarta-feira, novembro 07, 2007

O FOGO

Depois de um verão relativamente calmo e, quando já nada o fazia prever, o fogo começou a lavrar brutalmente pintando de negro a natureza.

Desde o passado dia 1, primeiramente nas matas a nascente da freguesia e depois, a partir do dia 4, nos campos do Baixo Vouga, em Salreu, que as chamas não dão descanso aos bombeiros.

De quando em vez assiste-se à tentativa de alguns "iluminados" em explicar estes actos inqualificáveis, dizendo que uma parte dos incêndios provêm de condições atmosféricas favoráveis, da falta de limpeza das matas, da presença de vidros, etc., etc.

A natureza não é ela própria uma fonte de ignição, salvo raríssimas excepções. Por isso não haverá muitas dúvidas que o homem estará por trás de quase todas estas barbaridades.
Todos os anos são apanhadas algumas dezenas de incendiários. E que lhes acontece? A maior parte são dados como portadores de uma qualquer perturbação mental. E pronto.
Neste país, de perturbados mentais, uma grande parte dos crimes são vistos à luz desse mesmo prisma.

Uma destas noites andei por lá. O cenário era dantesco. O ar era irrespirável e o calor insuportável. As chamas elevavam-se algumas dezenas de metros. Os homens esgotados clamavam tréguas.
E o energúmeno que ali deitou o fogo estaria, muito provavelmente aquela hora, sentado a uma qualquer mesa de café...


1 comentário:

A.FERREIRA disse...

Claro, Sr Camilo é um ponto de vista.
Tudo o que mencionou no texto é possível, existem testemunhos disso.
E tambem é verdade que existe uma possibilidade ínfima de ser a própria natureza a desencadear incêndios. Mas existe.
Quanto aos "iluminados"; penso que apesar de já não nos encontrarmos no séc.XVIII, eles de certa forma ainda nos são úteis.

Cumprimentos