Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, setembro 24, 2007

UMA TARDE DE DOMINGO

Uma tarde de domingo pode começar de variadíssimas maneiras.
Pode mesmo começar, a “levar-se” com 15 minutos de Mourinho no Jornal da Tarde! Uma vez mais! O “Special One”, agora desempregado (coitadito), tem o mundo do futebol a seus pés. E os canais de televisão deste país também - uma vez que o seu despedimento do Chelsea tem sido a Grande Notícia nos últimos tempos para oferecer aos Portugueses.

O homem (diz-se) arrecada por mês perto de 200.000 contos, que lhe advêm de ordenados e publicidade… e andam os pobres jornalistas deste país a “lamber-lhe as botas” diariamente.

Mais vale mesmo desligar a televisão e dar um passeio pelos magníficos campos do Baixo Vouga.

Antes mesmo de entrar nesse verdadeiro santuário, a satisfação pelo avanço das obras na Estação do caminho de ferro, durante muitos anos votada ao abandono por parte da CP e vandalizada por esses energúmenos que andam um pouco por todo o lado. A recuperação e modernização do espaço começa já a fazer-se sentir, ainda que muito lentamente…
Ali ao lado, a rede nua de protecção ao caminho de ferro é enfeitada por trepadeiras em contra luz, e vem-me à memória os tempos longínquos em que a nossa estação arrecadava, ano atrás de ano, Menções Honrosas no concurso Estação Florida, devido ao zelo e embelezamento que lhe era dado.







Algumas dezenas de metros depois, a paisagem começa a convidar-nos a deixar para trás, ou mesmo a esquecer, o mundo do dia-a-dia.




Sente-se no ar o cheiro a ervas e a feno, e o silêncio, quebrado apenas pelo chilreio do pássaros e pelo pisar de folhas secas, entranha-se-nos na alma.

Mais à frente as (poucas) “praias” de arroz, doiradas, trazem-nos novamente aos dias de hoje, para nos fazer pensar nas potencialidades económicas de toda esta zona, outrora cultivada na sua maior parte…

















À medida que vamos avançando, o silêncio torna-se ainda mais puro e os odores mais intensos.


Mas, no meio de toda esta harmonia paradisíaca, a prova de que o homem continua a ser o seu único inimigo aparece espalhada pelo chão. Mesmo assim, melros, rouxinóis e muitos outros pássaros vão, inocentemente, anunciando a sua presença e saudando os visitantes.




Continuando o nosso passeio, a tarde não poderia terminar sem a contemplação de um magnífico pôr-do-sol junto ao esteiro – algo sublime para os corações sensíveis.






Não seria difícil nem dispendiosa, a definição de um ou vários percursos por forma a guiar quem por aqui queira passar. Uma mão cheia de pequenas e discretas placas, à semelhança do que existe na Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto, seria suficiente para ajudar a dar a conhecer este cantinho magnífico da natureza. Vamos a isso?

5 comentários:

Narciso disse...

Caro Camilo, se me permite, uma pequenina lembrança que é uma homenagem para os chefes de estação e especialmente para os chamados carregadores que durante tantos anos contribuiram para que oa jardins da nossa estação fossem um mimo. Srs José Santos Pereira, Moutela, Adão, quem se lembra de outros nomes cujas pessoas recordo mas cujos nomes já se me escapam?

Poeta de Fermelã disse...

Caro Camilo,

muitos parabens por este post, li o mesmo 3 vezes, porque tambem partilho muitos dos sentimentos que o amigo refere no post.
Só quem dá um passeio com olhos de ver é que se consegue aperceber dos sitios mágicos que possuimos mas que por outro lado são tão mal tratados e espezinhados.
As próprias obras da estação, que se arrastam há séculos, estão a destruir aquela zona natural, espero que terminem depressa para voltar a deixar a natureza crescer.

Alcides Vital disse...

Magnífico este passeio.
Só faltou um galricho cheio de enguias ou uma bateira erveira, puxada à vara ou à sirga, com uma valente carga de moliço, junco ou arroz.

Como é bela a nossa terra!

Estrela Cadente disse...

Isso é que foi um domingo proveitoso!...
Lindo e boas observações.
Mourinho!...
Mais uma caixa para os jornalistas.
Eu agora só vejo TV pelo noticiário das nove.
Os programas sem nível, desinformação em vez de informação.
Exploração de assuntos e de gente que trás dúvidas sérias, enfim!...
Há estações de caminho de ferro fechadas que são lindas, porque é que no nosso País não se preserva o que temos bonito?
Faz-me tanta pena!
Até breve

noticiasd'aldeia disse...

Belo post, e belos sítios. Da recuperação do apeadeiro, espero que "seja posteriormente habitado" senão, é dinheiro deitado à rua.
Cpts