Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

quarta-feira, setembro 05, 2007

PORQUE NÃO CHORAM OS MACCANN?


Várias vezes, para não dizer mesmo, inúmeras vezes, refreei o ímpeto de escrever sobre o desaparecimento da menina Madeleine. O respeito pela sua memória - sim, porque não acredito que ela viva ainda - tem travado essa vontade enorme de deixar aqui o que penso sobre o assunto.
No entanto os quatro meses passados sobre o seu desaparecimento, e tudo o que tem sido dito e escrito, muitas vezes com a intenção primeira de "comprar" audiências ou leitores fazem que escolha este momento para colocar aqui a pergunta que fiz a mim próprio logo no dia 04 de Maio - o dia seguinte ao seu desaparecimento: PORQUE NÃO CHORAM OS MACCANN???
Sem qualquer intenção de fazer aqui um exercício de investigação, parece-me, no entanto, haver peças neste puzzle que não encaixam. Direi mesmo que faltam algumas peças para que a cena se complete. Peças essas que e poderão mesmo estar bem longe do lugar da investigação.
É legítimo que se coloquem algumas questões resultantes dessa análise, ainda que simples, dos factos conhecidos.
As que coloco a mim mesmo desmontam facilmente a hipótese do tão propalado rapto que desde a primeira hora surgiu e se divulgou até à exaustão.
Se atentarmos aqui, no site oficial da PJ, é difícil, diria mesmo: impossível para qualquer cidadão deste país, estabelecer uma comparação, por mais ténue que seja, com todos os casos semelhantes de que temos conhecimento. Desde o envolvimento dos investigadores, ao mediatismo projectado internacionalmente, passando pelos significativos apoios financeiros prontamente surgidos, não se encontra qualquer semelhança com qualquer outro caso anteriormente passado.
Podemos perfeitamente perguntar - é legítimo que o façamos - como se adormecem 3 (ou oito) crianças numa tarde de verão às 19h00;
Podemos perguntar porque se insistiu tanto na tese do rapto sabendo-se que, para que tal pudesse ter acontecido, teria o suposto raptor de estar seguríssimo das rotinas dos pais afim de ter a certeza de que naquele dia e aquela hora, as crianças estavam sozinhas no quarto. Não é crível que tal tenha sido possível adquirir em apenas alguns dias, atendendo a que a permanência dos McCann em Portugal tinha uma duração prevista de apenas oito dias;Podemos ainda interrogar-nos sobre o motivo de a comunicação do desaparecimento às autoridades ter sido feita passadas algumas horas de o mesmo se ter verificado;
Podemos mesmo questionar as razões por que ficaram os McCann em Portugal até à data presente quando qualquer um de nós se teria refugiado e apoiado na família o mais rapidamente possível como forma de minimizar a dor;
Muitas outras questões se podem colocar ainda. Para umas encontraremos certamente resposta, lógica ou não; para outras nem tanto. Certamente todas terão em breve a resposta que se impõe. Mas a primeira pergunta, aquela que se sobrepõe a todas as outras, continua sem resposta.
O sentimento de perda de um filho é algo que dilacera qualquer coração de pai / mãe, e descontrola emocionalmente mesmo quem não vive o drama na primeira pessoa. Então, porque não choram os pais de Maddie?

6 comentários:

Anónimo disse...

Acho que este post foi publicado na hora certa.
CPTS

João Dias de Carvalho disse...

Partilho, desde do inicio, da mesma dúvida. Lamento pelo criança e pelos seus irmãos que esta se concretize em realidade...

João Dias de Carvalho disse...

Partilho, desde do inicio, da mesma dúvida. Lamento pelo criança e pelos seus irmãos que esta se concretize em realidade...

Anónimo disse...

Parece que ninguém que tenha estado minimamente atento a este caso tem dúvidas de que há muitas zonas nebulosas nesta história e que há gente que sabe mais do que aparenta. A começar pelos amigos dos McCann e a continuar nos chorudos apoios económicos e nas pressões políticos de peso vindas lá da Loira Albion, há tantas coisas inexplicadas... Alguém de mediano Q.I. duvida de que a chave do caso está num círculo restrito e perfeitamente identificado de pessoas à volta da menina?...

Anónimo disse...

Partilho a mesma d�vida, desde o 1� momento que acompanho a not�cia nunca vi (� excep�o de uma ou duas vezes)aquela m�e demonstrar aquilo que se sente pela perda ou desaparecimento de um filho (a), o que sentia � que eram ambos pai e m�e pessoas muito frias.
Que a verdade seja reposta o mais r�pido poss�vel � o que neste momento acho que todos os Portugueses querem.

alguem disse...

O sentimento de perda de um filho � algo que dilacera qualquer cora�o de pai / m�e, e descontrola emocionalmente mesmo quem n�o vive o drama na primeira pessoa. Ent�o, porque n�o choram os pais de Maddie?

Uma pergunta dicut�vel.

Apesar de sermos um povo mais emotivo e que exprime mais os sentimentos, n�o entendo a apatia dos pais da Maddie.
At� entendo. Uma vez que apesar de serem m�dicos e de enfrentarem situa�es dram�ticas no quotidiano profissional, acabam por esfriar os sentimentos.
Mas tambem conhe�o m�dicos que agem a sangue frio com os pacientes, mas na hora de se tratar de familiares at� s�o mais emotivos do que os que n�o s�o m�dicos.
J� vi muitos pais a perderem filhos.

Ao fim de algum tempo, os pais aprendem a compreender v�rias formas humanas de expressar\atenuar o sofrimento de perda dum filho, do luto. � o instinto inato da nossa mente evitar o sofrimento. � um automatismo de defesa.

-J� vi muitos pais, m�es, a n�o evidenciarem sofrimento, a n�o chorarem.
Como se pode quantificar o choro, a perda e o sofrimento de perda de alguem?

Mas tambem � verdade que j� esbarrei com muitas m�es que ficam com sentimentos de culpa por terem provocado a perda. Essas evitam chorar, para se enganarem a elas pr�prias de que n�o fizeram isto ou aquilo para fazer "desapare�er" o filho ou a filha.
Se o casal McCann tem atitudes estranhas? Quem n�o as tem, ou tenta n�o as ter?
Quantas situa�es destas existiram e existem, mas que nunca foram descobertas? S� os padres, psic�logos e advogados � que sabem desta triste realidade.

Vou esperar pelo desenrolar da investiga�o. No fim, fa�o o meu juizo de valor, a minha an�lise.
Sim, para perceber das duas uma:

Estudar um fen�meno de como se faz desaparecer uma crian�a e se engana um planeta inteiro, mas uns pol�cias desvalorizados conseguem desvendar melhor que um Sherlock Holmes.

ou ent�o

Apesar de uns pais descuidados a jantar fora, com as crian�as em casa e serem raptadas, ainda s�o suspeitos por uns pol�cias psic�ticos e paran�icos.


Para agora s� me entriste�e o desapare�imento da madeleine e dela e os irm�os terem ficado abandonados enquanto os pais jantavam no restaurante.

Quem � que deixa os filhos beb�s em casa a dormir (sedados ou n�o) s�zinhos e vai jantar para o "Em�dio"?