Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, setembro 10, 2007

P.e IVO



Foi com enorme alegria que ontem ao fim da tarde pude rever este homem que também foi Canelense de alma e coração.
Pessoa querida de todos nós, mantém aos 84 anos de idade a simpatia e a simplicidade que lhe está no sangue.
Estar com o P.e Ivo - o nosso P.e Ivo - é sempre sinal de alegria e boa disposição. Conhecidos ou forasteiros, todos se rendem à sua forma peculiar de contar centenas de histórias que guarda nos recantos da sua memória e que com enorme facilidade e satisfação vai desfiando horas e horas sempre que encontra plateia a jeito.
O P.e Ivo Fernandes da Silva é o mesmo P.e Ivo de sempre. Basta vê-lo para perceber isso.
Qualquer um de nós, que com ele privou durante alguns anos, recordará certamente as suas "pesadas" homilias quando começava por tirar o relógio e o segurava numa das mãos para melhor ir controlando o tempo.
Homem de uma humildade pura, não raras vezes se inspirava num qualquer assunto do quotidiano para daí extrair a mensagem que pretendia fazer passar. E hoje percebemos bem o quão enraizada estava a certeza com que dizia as suas parábolas.
"Os tempos repetem-se!" - quem poderá esquecer esta frase que o acompanhava em tantas ocasiões... ou "olhai, eu sei que não é para vós que digo estas coisas mas... sempre se acaba por saber o que o padre disse na igreja" - era a sua forma de transmitir o que entendia necessário.
Ainda hoje a sua mensagem permanece em muitos de nós como pérolas religiosamente guardadas.
Atrevo-me a dizer que se houvesse uma Pastoral da Boa Disposição, certamente teria sido ele o seu percursor.
"Chipépa" - ainda hoje não sei a origem ou o significado da palavra, nem tão-pouco como se escreve, mas a satisfação espelhada num sorriso de par em par, quando no meio de um bando de miudagem se virava para um e o dizia, era contagiante e sublime.
Os quase vinte anos que dedicou a esta terra (1967 - 1985), em todos deixou esta ou aquela recordação que muitas vezes o lufa-lufa do dia-a-dia se encarrega de fazer desvanecer. Mas basta um breve olhar para a fotografia acima para que o tempo inverta o seu sentido e nos revele tudo o que nunca esquecemos.
Foi bom revê-lo nesse fim de tarde, padre Ivo. Muito bom.
Chipépa, P.e Ivo.

7 comentários:

Alcides Vital disse...

Camilo,
É bom recordar frases como as que apontas entre outras, como:
"A história repete-se", "Tenho que ir falar com a minha sogra" ou "Pirilampitos, pitos, pitos...".
Mas, "CHIPÉPA", ou lá como é que se escreve essa coisa, era fantástico.
Bem haja P.Ivo por aquilo que me transmitiu e que eu soube reter.

Rosa Andrade disse...

Que saudades do Padre Ivo, a sua boa disposição era de facto contagiante.
Já agora mais uma frase dele "Posso contar casos desde que não cite nomes".
Diziam que era um bocadinho "chato" nas suas homilias, mas eu gostava muito de o ouvir confortava-me a alma aos Domingos.
Chipépa é um termo africano, que agora não me recordo o que significa mas logo que me recorde direi o que é.
Obrigado Padre Ivo por tudo aquilo que nos transmitiu.
Rosa Andrade

Anónimo disse...

Tudo isto que foi dito é puramente verdade, e posso dizer que sou uma "canuca" em relação a vocês... mas não posso deixar de lembrar os celebres "ensaios" de preparação para a comunhão, profissão de fé, em que os canticos todos os anos eram os mesmos e tinham como mote "La la ri, la lari, ..." e isto repetia-se várias vezes até o nosso querido padre se lembrar da música. Um grande beijinho para ele e um obrigado, para ti Camilo por nos fazeres recordar este HOMEM.
Cristina

Pedro Rego disse...

É bom olhar para uma fotografia destas e recordar um amigo de todos os Canelenses. Muitos passaram, outros hão-de vir, mas este foi de facto o pároco que marcou várias gerações! Recordo com saudade o dia da minha 1ª Comunhão e dele se meter com o meu aspecto franzino: "Pedrito, só come peixe frito".
Bem Haja Pe IVO.
Pedro Rego

alguem disse...

Pessoalmente nunca conheci o Sr. Pe. Ivo.
O senhor padre Ivo, fazia parte do "cardápio" de histórias divertidas que a minha avó me contava à luz da lareira.
E seguia-se uma sessão de cinema em casa em formato S-VHS filmes do actor cómico luso-françês, Louis de Funes, com características físicas muito similares ao Pe. Ivo, para nós netos termos uma ideia como sería.
É sinal que o Sr. Pe. Ivo era bem acolhido e querido pela paróquia.

Carlos disse...

Olá amigos, foi um amigo que me enviou um mail com o comentário sobre o sr. Padre Ivo. Ao princípio pensei ser um fermentelense como eu, mas agora vejo que não será meu conterrâneo.
Também eu conheci o Sr. Padre Ivo, do tempo que paroquiou em Fermentelos, e foi a ultima vez que ele esteve como responsavel por uma paróquia, pois agora está a ajudar.
Comungo dos comentários, é uma muito boa pessoa, sem maldade nem segundas intenções, um pouco cansado da vida e a cabeça ás vezes pregava-lhe partidas, mas agora rejuvenesceu, até parece outro. Os últimos tempos em Fermentelos eram um pouco complicados para a saúde dele, mas graças a Deus ainda pode ajudar muito na Igreja.
Um abraço para o Sr. Padre Ivo
Carlos Nolasco

Anónimo disse...

É com muita tristeza que hoje escrevo que o grande Padre Ivo faleceu, mas para sempre irá permanecer nas nossas memórias.
Até sempre Padre Ivo.