Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

domingo, agosto 26, 2007

FUTEBOLADAS

Aí está de novo, o que um dia foi apelidado de desporto-rei, na sua máxima força: o futebol.
Perde-se na memória dos tempos a origem do futebol, sendo certo que há registos de que na China e no Japão duzentos anos antes do nascimento de Cristo, se praticava o Kemari - um jogo de pontapé numa bola feita de fibras de bambu, num campo de aproximadamente duzentos metros quadrados.
Na Grécia o "Episkiros" assumia um carácter militar e era jogado por quinze homens sendo a bola uma bexiga de boi cheia de areia.
Os Romanos dele tiveram conhecimento na Idade Média e, também aí, prevaleceu o cariz militar. Sendo praticado por duas equipas de defensores e atacantes, o"Haspartum" era tido como uma verdadeira batalha campal em que os 54 jogadores (27 de cada equipa) usavam as mãos, pés e tudo o mais. Socos e pontapés eram coisa normalíssima em tal peleja.
Depois de se estender também pela Itália, onde a sua prática foi proibida no século XIV, devido ao enorme ruído e escaramuças produzidos nas praças onde era jogado, daí resultando muitos males, o "gioco del calcio" chega, no século XVII, a Inglaterra.
Aí, o jogo ganhou regras, foi organizado e popularizado. A bola passou a ser de couro e o tamanho do recinto de jogo foi fixado em 80 x 120m. O Futebol (foot/pé + ball/bola) passou então a fazer parte do quotidiano dos filhos dos nobres e dos estudantes de Inglaterra.
Em Portugal, foi introduzido no ano de 1884, por Guilherme Pinto Basto.
Na segunda metade do século XIX, o futebol foi verdadeiramente popularizado e no início do século XX, no ano de 1904, em Paris, foi criada a F.I.F.A. - Federação Internacional de Futebol Amador, hoje Federation International de Football Association.
O jogo teve honras Olímpicas a partir do ano de 1908.

A evolução (?) do futebol moderno, catapultou-o para outros objectivos, tornando-o uma pesada indústria movimentadora de milhões e milhões e reduzindo a prática desportiva aos predestinados para tal.

Noticiava-se ontem que, para um dos jogos deste fim de semana, irão ser destacados 500 polícias...
Pois bem, foi esse detalhe que fez com que fizesse hoje esta pequena inflexão pelos reconditos caminhos da origem de tal jogo e a conclusão parece-me por demais evidente: o futebol estará a caminhar ao encontro da sua procedência - um jogo bélico!
Incompreensivelmente são destacados, mais de um milhar e meio de agentes policiais, para as 44 partidas disputadas em cada fim de semana (contando apenas os escalões nacionais), com o intuito de manter a ordem em espectáculos que, pela sua evolução e características actuais deveriam ser verdadeiras festas desportivas, mas que a própria Federação Portuguesa de Futebol frequente e antecipadamente classifica "de alto risco"!
Tristemente se pode aceitar hoje que entre os espectadores e os intervenientes hajam fossos, gradeamentos e polícias com bastões e escudos de protecção e mesmo assim...
Em cada fim de semana que passa, as forças policiais deste país, por determinação desse poder que é o futebol, ficam presas nos campos horas a fio para que "nada aconteça a jogadores e adeptos". A factura no fim de cada época é seguramente bem elevada.
Em contrapartida a violência dispara por todo o país (atente-se nos noticiários das últimas semanas).
E a pergunta é inevitável: e a segurança das populações e seus bens, quando e quem a classifica de prioritária e merecedora da congregação de todos os meios disponíveis ao seu combate?

quinta-feira, agosto 23, 2007

RECANTOS

Quase todos nós, senão mesmo todos, temos algumas dezenas ou mesmo centenas de fotografias que vamos tirando ao longo da vida. Muitas, as mais antigas, estarão porventura guardadas em escuras gavetas, tantas vezes à mercê do seu pior inimigo: a humidade; as mais recentes tê-las-emos já gravadas em CD's ou mesmo no disco rígido do computador.
Para aqueles que, como eu, são apenas uns meros e fracos curiosos na matéria, e a quem a arte e o engenho nada devem, a era digital veio facilitar grandemente a vida, além de diminuir substancialmente o custo deste hobbie fascinante.
Quase a completar um ano nestas andanças da Blogosfera, um novo projecto começa a tomar forma.
Não será propriamente pela qualidade dos trabalhos, mas tão somente pelo prazer de partilhar algumas das imagens que aqui e além vou recolhendo, que me proponho hoje a dá-lo a conhecer [Aqui].

terça-feira, agosto 21, 2007

REGRESSO... COM NOSTALGIA


Venho do fundo escuro de uma noite implacável,
e contemplo os astros com um gesto de assombro.
Ao chegar à tua porta me confesso culpável,
e uma pomba branca se me pousa no ombro

Meu coração humilde se detém em tua porta,
com a mão estendida como um velho mendigo;
e teu cachorro me late de alegria na horta,
porque, apesar de tudo segue sendo meu amigo.

Ao fim cresceu o roseiral aquele que não crescia
e agora oferece suas rosas atrás da grade de ferro;
Eu também hei mudado muito desde aquele dia,
pois não tem estrelas as noites do exílio.

Talvez tua alma está aberta atrás da porta fechada;
porém ao abrir tua porta, como se abre a um mendigo,
olha-me docemente, sem perguntar-me nada,
e saberás que não hei voltado... porque estava contigo.

Jose Angel Buesa