Neste Blog continua a escrever-se Português de Portugal.

segunda-feira, dezembro 18, 2006

SERVIÇO DE URGÊNCIAS DO HVS


Antes de mais, uma breve explicação pela já longa ausência:
Motivos de ambito profissional têm impedido que me sobre algum tempo livre para dedicar a este espaço. Espero no início do ano voltar a dispor dessas saborosas horas de fim de tarde ou de fim de semana.
Estamos a "dois dias" de ser dada a conhecer a decisão final sobre o futuro do Serviço de Urgências do Hospital Visconde de Salreu.
Muito tem sido escrito e dito a este respeito nos mais diversos órgãos de informação mas, permitam-me o desabafo, não acredito que a população do concelho esteja a ver a dimensão do problema inerente a uma possível decisão pelo encerramento.
Alerta-se para a existência de um permanente risco devido à presença do Complexo Químico... que, provavelmente, é cada vez menos motivo de preocupação.
Seguramente o Serviço de Urgências, por muito bem equipado que esteja, jamais conseguiria dar resposta a um grave acidente químico, muito embora possa ser uma peça importante a ter em conta num caso desses.
A meu ver, o principal motivo de preocupação são os cerca de 5.000 habitantes com mais de 65 anos de idade que existem no concelho. Esses para quem a vida corre vertiginosamente e que têm direito a ter o mais elementar serviço público.
Não lhes cabe a eles a luta, o protesto, o grito de revolta. Cabe sim a todos os que ainda não atingiram essa idade mas que para lá caminham.
A par desses será igualmente de ter em conta as cerca de 3000 crianças com menos de 10 anos, e que normalmente nos fazem correr ao Serviço de Urgência a qualquer hora do dia ou da noite.
Esta tendência de aniquilamento dos mais fracos, dos mais pobres, dos mais pequenos, dos que têm menos condições de sobrevivência, lembram-nos outros momentos da história. Momentos negros que nada conseguirá apagar. Caminhará Portugal para situações de que essa mesma história hoje se envergonha?
Neste nosso país à beira mar plantado vive uma classe política das mais bem pagas e com maiores regalias da europa, e a quem não é pedida qualquer responsabilidade pela forma, tantas vezes desgovernada, como exerce o seu mandato. E ainda se lhes pagam milhões de euros a título de subsídios de reintegração em cargos de elevado rendimento para os quais são com frequência nomeados. Para que isso seja possível, despedem-se mais umas centenas de professores, de funcionários públicos, encerram-se serviços, fecham-se escolas, aumenta-se o custo dos bens elementares, da saúde, do ensino, etc,...
Passados 32 anos sobre o momento que supostamente despoletaria o desenvolvimento do país, assistimos a esta triste realidade: um país à deriva, na cauda da Europa, sem perspectivas reais de futuro.
A luta pela manutenção do Serviço de Urgências do nosso Hospital vai ter amanhã um ponto alto: a Vigília junto à rotunda do Hospital a partir das 21h00.
As razões para lutar por essa manutenção estão sobejamente apontadas e justificadas.
Que esse grito seja forte o suficiente para entrar pelos ouvidos de quem nos (des) governa.

10 comentários:

Anónimo disse...

Foi com bastante agrado que hoje, ao fazer a minha visita diária ao seu blog,encontrei um novo post,confesso que senti alguma saudade,pois os temas que o Camilo aborda são sempre de uma enorme importância,como o de hoje bastante actual e que tanto tem movimentado o povo da nosso Concelho,esperemos que reine o bom senso a quem nos governa.
Cpt

Lua disse...

Acho que o Camilo depois de uma curta ausência regressou de novo em grande,o meu bem haja por este post que nos semsibliza para este enorme problema,esperemos que a sua resolução seja a favor deste nosso povo.

Anónimo disse...

Vale sempre a pena lutar pelas causas justas e o direito à saúde – tendencialmente gratuita – como se afirma na Constituição é, em meu entender, um direito elementar.

O que é óbvio nos dias que correm é que as conquistas de Abril, são um lapso fortuito da história deste país que, o capital e a passividade do povo se encarregam de apagar. Construímos um país pobre, muito pobre, onde a banca obtém crescimentos anuais dos lucros na casa dos 50%, onde se recebem os salários mais baixos da EU dos 15 e no qual se pagam, obrigatoriamente, dos impostos mais altos dessa mesma EU, recebendo o cidadão, por parte do estado, as mais baixas contrapartidas.

Este é o país onde poucas classes profissionais prosperam, sendo que a da política é das mais seguras. Andam os miúdos a estudar mais de 20 anos para depois engrossarem as filas do desemprego quando na política qualquer brugesso que nem sequer pensa, tem o futuro assegurado porque se inscreveu em devido tempo na porcaria de um partido qualquer.

Este é o país que conta os seus idosos, não como uma mais valia pelo seu conhecimento e experiência mas, como custos que é necessário abater.

Acredito que dificilmente o processo de encerramento das urgências de Salreu voltará atrás. De imediato, quem mais sofrerá serão os mais idosos e, no tempo, todos nós que não caminhamos para mais novos.

Cumprimentos,

Jertel

Anónimo disse...

Foi numa noite fria, como a de ontem, que me desloquei à rotunda do Hospital, como assim é conhecida. No meu entendimento foi por uma justa causa. Lamento que num Conselho como o de Estarreja e Conselhos vizinhos, que estão abrangidos pelo HVS, tenham estado tão poucas pessoas. Isto manifesta, falta de informação, ou falta de preocupação.
Se a decisão do Governo for avante, resta-me apenas suplicar ao nosso Grandioso Visconde, que salte do túmulo todas as noites e que lhes puxe por uma perna, …. Pois este Homem nunca deve ter pedido nada ao Governo para a feitura de tão grandiosa obra. Lembro-me, os meus avós maternos dizerem que o povo muito trabalhou para aquela casa. Eu ainda acrescento mais, se não fosse o HVS, o meu avô materno que era um doente de alto risco, não tinha vivido até aos 87 anos.
O meu agradecimento a todos aqueles que lutam pelo não encerramento das urgências do HVS.
Cristina Andrade

Anónimo disse...

Também ontem me desloquei à vigília,e foi com bastante mágoa que verifiquei que dos 45 mil utentes do HVS nem 2000 estariam presentes.Aproveito para fazer um apelo,se mais formas de luta existirem,não fiquem em casa pois todos precisamos que estas urgências continuem de portas abertas.
Rosa Andrade

Rosa Andrade disse...

Desejo-te um Santo e feliz Natal e um óptimo ano de 2007.
Rosa

Anónimo disse...

BOM NATAL e um bom 2007

AC disse...

Votos de um Muito Feliz Ano de 2007.
Cpts.

Anónimo disse...

O que é feito de si,espero que brevemente o Camilo volte a deliciar-nos com um novo post.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Que bom começar o ano em paz , nada de guerras surdas, que não nos levam a lado nenhum , entendamo-nos que a terrinha é piquena.

UM MUITO FELIZ ANO DE 2007 A TODOS.

Cumprimentos